Viagem

American Airlines lança rastreador de bagagem em tempo real

Serviço permite que passageiro acompanhe localização das malas

01/10/2015 | 16h07    

Gregory Karp - Chicago Tribune (TNS)

O ideal é que as bagagens também estejam bem identificadas

O ideal é que as bagagens também estejam bem identificadas Foto: Divulgação

Para amenizar o estresse causado a turistas por conta da perda de bagagens, a American Airlines lançou um sistema online de rastreamento em tempo real das malas, do check-in à esteira no aeroporto. O serviço é gratuito e permite que o próprio cliente informe à companhia a localização dos pertences, o que agiliza o processo. “É algo que nossos clientes pediam há um bom tempo, e nós estamos ansiosos para deixá-lo disponível a todos”, afirmou a porta-voz da empresa, Laura Nedbal. Outras empresas, como a Delta Air Lines e a US Airways, também oferecem o serviço. 

Uma das maiores dificuldades das companhias não é encontrar as malas, mas destiná-las aos donos certos. O principal obstáculo é que as descrições feitas pelos passageiros dos pertences muitas vezes são pouco precisas, uma vez que as bagagens em geral têm cores e formatos semelhantes. Para utilizar a facilidade, é preciso acessar o site www.AA.com/baggage, por celular ou desktop, clicar em “track your bags”, colocar o último sobrenome e o localizador da mala ou do passageiro. O site, então, fornece uma das seis localizações possíveis, como “check-in”, “embarcando” ou “fora da aeronave”.

É possível acessar o site também pelo smartphone, mas não pelo aplicativo da empresa. Clientes da programa de fidelidade AAdvantage também pode conferir a localização dos pertences no seu perfil online. 

A American Airlines lançou oficialmente o serviço no fim de agosto e já o utilizava internamente. No entanto, a empresa só comunicou agora os clientes para dar tempo de os funcionários acostumarem à nova tecnologia.

Cerca de 7,3 a cada 1 mil passageiros que viajaram de avião no mundo em 2014 tiveram suas bagagens perdidas, conforme o Relatório de Bagagens produzido pela Sita, empresa de tecnologia da informação especializada em aviação que fez um estudo sob encomenda da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Ao todo, foram 24,1 milhões de malas extraviadas ao redor do Mundo.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.