Seth Kugel/NYT
Seth Kugel/NYT

Aprenda a harmonizar vinho e bolso

NAPA VALLEY - Com um pouco de informação e persistência você verá que dá para conciliar ótimos vinhos e refeições com preços razoáveis em Napa. Eu mesmo vivi essa experiência no restaurante dirigido por Thomas Keller, talvez o chef mais famoso da América. Não foi, infelizmente, no French Laundry, onde o menu degustação com duas modestas taças de vinho custaria US$ 325. Na verdade, esse foi o custo total com degustações, refeições e alojamento durante meus dois dias pelas vinhas da Califórnia.

Seth Kugel/ The New York Times,

29 Outubro 2013 | 14h59

 

A minha sorte virou ao encontrar o Ad Hoc Addendum (adhocrestaurant.com), pequena cabana – também comandada por Keller – atrás do seu festejado restaurante Ad Hoc, e que serve lanches por US$ 16,50 de quinta-feira a sábado. Almocei o suculento frango frito, que veio com pão de milho, salada de batata e repolho. O jantar foi bem mais barato: tacos de bochecha de boi por US$ 1,50 no Tacos Chávez, que funciona há décadas num caminhão, na Coombs Street, 75.

Outra memorável surpresa aconteceu durante uma visita à adega Tres Sabores (tressabores.com), onde nos perguntaram se queríamos nos lançar em algum trabalho. Acabamos participando da maceração das uvas.

Mesmo que você não saiba nada sobre vinho – e eu sei pouco –, pode aprender muito pela simples escolha de vinícolas de pequeno porte. Recomendo a compacta Nichelini Winery (nicheliniwinery.com). Com um cupom, a degustação sai por US$ 15 para duas pessoas.

Na Pride (pridewines.com; US$ 15), a guia Nikki Lamberti começou por um viognier 2012 com notas de madressilva e frutas tropicais. Ela nos levou para ver um trabalhador enfiar cachos cabernet sauvignon numa máquina que tritura e tira os caroços. Depois, a um labirinto de cavernas, onde nos fez provar um merlot 2012. Achei muito tânico, incomum para merlot – resultado de cultivar uvas em altas altitudes. Pelo jeito eu já estava entendendo um pouco do riscado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.