Axel Gerdau/NYT
Axel Gerdau/NYT

Ares de metrópole cultural e religiosa

Com 2,8 milhões de habitantes, Kiev é uma cidade das mais antigas da Europa e é também surpreendentemente bela e cosmopolita. Chegando lá, ser compreendido em inglês deixará de ser um problema tão grande, já que boa parte da população tem algum conhecimento da língua.

KIEV, O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2013 | 03h15

Fundada por volta do século 5.º pelos reis khasares, povos de origem turco-eslava, a cidade funcionava como polo de intercâmbio comercial entre Escandinávia e Constantinopla, a atual Istambul. A capital ucraniana foi o centro cultural e econômico da civilização eslava no século 10, mas acabou destruída com a invasão dos mongóis em 1240. Só recuperou a importância política em 1934, ao se tornar capital da República Socialista Soviética da Ucrânia.

Hoje, Kiev começa a mostrar sua relevância como metrópole cultural. Tem numerosos e amplos parques repletos de atrações na primavera e no verão, largas e arborizadas avenidas e um importante centro religioso ortodoxo, o famosos Pecherska Lavra.

A locomoção pela cidade é simples e rápida: o metrô tem apenas três linhas, mas contempla toda a área turística de Kiev, que não é lá muito extensa.

Como outras capitais europeias, Kiev está situada às margens de um rio, o Dniepre. Em torno dele, várias ilhas aglomeram dezenas de praias que ficam lotadas na alta temporada, já que no inverno a temperatura da cidade pode cair até 30 graus negativos.

Uma das atrações durante as estações quentes são os passeios e banhos pelas praias de água doce do Hydropark: são quilômetros de areia e águas limpas em duas ilhas, Venetia e Dolobetsk. O metrô deixa lá dentro e o acesso à maior parte das praias é gratuito.

Arco-íris noturno. Do lado direito da cidade, siga na direção norte até o grande Arco da Amizade entre os Povos, que reluz como um arco-íris à noite. Foi erguido em 1954 para marcar os 300 anos do Tratado de Pereyaslav, que simboliza a amizade entre os povos russo e ucraniano - até hoje a relação política entre eles é tema delicado.

Continue pela avenida Khreshatyk, a principal de Kiev, que dá na Praça da Independência, onde acontecem as manifestações políticas e onde ficam o Conservatório Nacional de Música e a Ópera Nacional.

Há inúmeros bares e casas noturnas pelo caminho. Nos fast-foods, é possível degustar a especialidade local: o frango à Kiev, empanado recheado com muita manteiga. Não dá para ir embora sem prová-lo. / RENATA REPS, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.