Nadia Shira Cohen/NYT
Nadia Shira Cohen/NYT

Atmosfera renovada nas ruas (e na arte) napolitana

Nápoles, capital da região da Campânia, tem a reputação manchada pela corrupção e crime, ambos pequenos e organizados. Mas já se vê a mudança chegando. Seu novo prefeito lançou iniciativas para limpar a cidade, começando pela coleta seletiva do lixo e a organização do caótico tráfego. O cenário de arte contemporânea, em museus, galerias e até em metrôs, está impulsionando seu renascimento cultural. Não se engane: os problemas persistem, mas podem ser recompensados pelas virtudes da cidade.

INGRID K. WILLIAMS /NÁPOLES , THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

12 Março 2013 | 02h12

Desde abril de 2012, os carros foram banidos das ruas à beira-mar Via Caracciolo e Via Partenope, que se transformaram em um agradável calçadão. Caminhe por ali e se deslumbre com a panorâmica composta pelo Monte Vesúvio, a Ilha de Capri lá no fundo e o esplêndido céu tingido com as cores do pôr do sol. Depois, corte pelo parque Villa Comunale até seu pátio interno, onde se esconde a galeria de arte Estúdio Trisorio (studiotrisorio.com). Seu novo espaço de exposição abriga mostras como a do fotógrafo e videoartista italiano Stefano Cerio, até dia 30.

A cena artística moderna local também se diversificou com a abertura do Museo d'Arte Contemporanea Donnaregina, ou Madre (www.museomadre.it), um imenso palácio que abriga obras de grande nomes da atualidade, como Richard Serra, Anish Kapoor e Jeff Koons. Até 1.º de abril, o local também recebe uma mostra em homenagem ao norte-americano Sol LeWitt. Pela cidade, mostras temporárias ainda recheiam a agenda das galerias do Palazzo delle Arti Napoli (palazzoartinapoli.net).

Apesar de uma rede de túneis e catacumbas se esconder sob a cidade, o subterrâneo mais interessante ultimamente é o metrô: instalações artísticas agora ocupam 13 de suas paradas. Para um passeio rápido pelas mais recentes, comece na estação Università, cujas passagens ganharam pinturas coloridas que a fazem parecer parte de um jogo de videogame. Em seguida, vá de trem até Toledo, e se deslumbre com corredores cobertos por painéis que dão a impressão de um mar em movimento.

Outra ideia é caprichar no café da manhã e encarar um tour pelas obras-primas de Nápoles. Na Via Toledo fica o elegante Palazzo Zevallos Stigliano (gallerieditalia.com), cuja galeria do 2.º andar exibe a mais recente pintura restaurada de Caravaggio, O Martírio de Santa Úrsula. Até o fim do mês, um par de obras de Andy Warhol retratando o Monte Vesúvio também permanece ali. Ainda no centro antigo dá para conferir outra pérola de Caravaggio: As Sete Obras de Misericórdia está no altar da Pio Monte della Misericordia (piomontedellamisericordia.it). Completa o passeio o Museo Cappella Sansevero (museosansevero.it), onde a escultura de mármore de um Cristo velado é surpreendentemente realista.

Ainda falando de clássicos, o Teatro di San Carlo é uma das mais antigas e belas casas de ópera da Europa. Para dar uma espiada nos bastidores, visite o Memus (memus.org), o arquivo que guarda seus documentos, fotografias e figurinos antigos. Depois deste aperitivo audiovisual, vire a esquina e escolha seu prato principal: uma ópera, balé ou concerto no teatro em si (www.teatrosancarlo.it).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.