Beleza medieval

A bela capital dos bem preservados castelos vive sua época mais festiva do ano, com ótimas opções de arte e cultura em cada esquina

Niza Souza / EDIMBURGO, O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2010 | 02h01

Tour. As principais atrações de Edimburgo podem ser percorridas a pé

 

 

 

Os castelos, presentes em toda parte, fazem a imaginação voar. É como se a conexão em Londres tivesse levado o visitante de volta aos tempos medievais. Calabouços e torres, escudos e brasões, tradições e lendas. Tudo isso está no dia a dia dos escoceses, povo de sotaque difícil e hábitos estranhos como o kilt, a saia usada pelos homens em eventos de gala.

 

O frio é intenso a maior parte do ano: no verão, a temperatura não passa dos 25 graus. E o clima está sujeito a mudar a qualquer momento. Um dia de sol e calor pode, rapidamente, se tornar nublado e chuvoso. Nada, no entanto, que seja suficiente para tirar o charme do país.

 

 

Veja também:

linkOito séculos de história na principal atração de Edimburgo

linkClima frio e uísque, uma perfeita combinação escocesa

 

Além das saias xadrezes e do monstro do Lago Ness, a Escócia é famosa por seu uísque. Nesse pequeno país que integra o Reino Unido (ao lado da Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales), há cerca de cem destilarias. Se quiser degustar os maltes locais, saiba que ao menos 30 estão abertas à visitação.

 

Outra paixão local é o golfe - o esporte é tão popular por lá quanto o futebol no Brasil. São mais de 500 campos espalhados pelos modestos 78 mil quilômetros quadrados do território escocês.

 

Erguido sobre a cratera de um vulcão extinto há 350 milhões de anos, o Castelo de Edimburgo domina a paisagem da capital escocesa. Não importa em que ponto da cidade você esteja, lá estará ele, imponente. Anote para não esquecer: uma das melhores vistas é a partir do florido Princess Garden, que parece emoldurar a construção do século 12.

 

Comece o passeio pela capital no castelo. Assim você pode percorrer os aposentos desse Patrimônio da Unesco tranquilamente e observar todos os detalhes, superconservados. Em seguida, explore com tempo a Old Town, a parte medieval da cidade, onde ficam as principais atrações turísticas.

 

A região é repleta de becos, construções antigas e bandeiras com escudos medievais - todas as lojas têm as suas. Nesta época do ano, as vias ficam lotadas de turistas e artistas de rua, que chegam para o Festival de Edimburgo, realizado sempre nas últimas três semanas de agosto.

 

A principal rua da Old Town é a Royal Mile, que tem em uma ponta o castelo e, na outra, o Palácio de Holyroodhouse, residência oficial da família real na Escócia. Construído em 1128, o local era, originalmente, um mosteiro, e passou a abrigar reis e rainhas em razão do crescimento de Edimburgo, no século 17. Entre a suntuosidade dos muitos salões, histórias de traições e crimes como a de Mary Stuart, acusada de assassinar um de seus maridos.

Seguindo a Royal Mile em direção ao castelo, pare na Thistle Chapel, que presta homenagem aos cavaleiros escoceses. Observe com atenção a riqueza dos detalhes, como os escudos e brasões entalhados e curiosidades típicas, como anjos tocando gaita-de-foles. A entrada é gratuita, mas a igreja pede que os visitantes contribuam com donativos (especialmente os que quiserem tirar fotos).

No largo da igreja fica o Mercat Cross, importante marco construído em 1707, onde as proclamações reais eram lidas desde o século 5.º. Também era por ali que os mercadores entravam para vender seus produtos na Idade Média.

Vale ainda fazer uma visita ao Museu do Escritor (Writer"s Museum), construído em 1622. Pequeno, mas bem interessante, tem o acervo dedicado aos grandes escritores escoceses, em especial a Robert Burns (1759- 1796), Walter Scott (1771-1832) e Robert Louis Stevenson (1850-1894). O local abriga uma rica coleção de fotos, manuscritos e objetos pessoais. Outra boa pedida é o excelente Museu Real da Escócia, na Chambers Street, também com entrada gratuita.

 

 

 
Olha a foto. Eles estarão lá, paramentados, mas alguns cobram por fotos

Cidade nova. Descendo em direção à New Town, a parte mais recente de Edimburgo, está a Princess Street, avenida principal que divide as duas partes da cidade. Uma espécie de centro comercial que reúne as principais lojas, inclusive unidades de marcas onipresentes no restante da Europa, como Mango e H&M.

 

No caminho, você pode conhecer a Galeria Nacional (entrada gratuita), que foi reformada recentemente. A construção, como tudo por lá, impressiona. 

 

Aproveite para apreciar de perto o Scott Monument, construído em 1846 em homenagem ao escritor Walter Scott. Pelo caminho, haverá sempre um escocês trajado com o kilt típico, tocando gaita-de-foles, à espera de algumas libras em troca de fotos com os turistas.

 

 

 

 

Festa militar. Além do Festival de Edimburgo, outra atração tradicional em agosto é a Military Tatoo, desfile de bandas militares realizado desde 1950. Neste ano, a festa - concorridíssima, aliás - vai até 28 de agosto, com apresentações de segunda-feira a sábado.

 

Mesmo para quem não é fã do gênero, o espetáculo é interessante. As apresentações ocorrem na esplanada do Castelo de Edimburgo, que serve de cenário para os efeitos especiais.

 

 

A maioria das bandas é do próprio Reino Unido, especialmente da Escócia, e os soldados se apresentam de trajes típicos (um kilt de gala), tocando, claro, a tradicional gaita-de-foles.

 

O único senão é que, depois da terceira apresentação, o som pode parecer um tanto repetitivo. Há alguns anos, os organizadores abriram espaço para bandas de outros países se apresentarem, o que diversificou um pouco as atrações. Mais informações: www.edintattoo.co.uk.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.