Caminhar em Jo'burg? Pelas ruas de Melville, isso é possível

{HEADLINE}

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2010 | 01h58

{HEADLINE}

Bairro mescla áreas

comerciais e residenciais. Agito fica na 7th Street

[ASSINA]JOHANNESBURGO

[/ASSINA]Costuma-se ouvir que, em Johannesburgo, a única forma de se deslocar é de carro. Mas a afirmação não se aplica se você estiver em Melville. Com numerosos cafés, lojas e restaurantes, o bairro é um dos poucos de Johannesburgo que mesclam áreas comerciais e residenciais. Sorte de seus hóspedes e moradores, que não precisam se deslocar por vários quilômetros para comprar pão, ir à farmácia ou mesmo beber uma cerveja.

O agito em Melville se concentra na Seventh Street, famosa na África do Sul por causa da novela homônima - a rua aparecia na abertura do programa. No bairro, sebos e antiquários, que dão um ar retrô à região, dividem espaço com lojas de grife e restaurantes descolados.

Próximo de duas universidades (a de Johannesburgo e a de Witwatersrand), Melville também atraiu bares e pubs, que ficam cheios de jovens até de madrugada. O Buzz 9 (9 Seventh Street), com estilo industrial, serve de drinks tradicionais, como martinis e cosmopolitans, a bebidas que mesclam frutas e iogurtes. Menos pretensioso, o Xai-Xai Lounge (Shop 7 Seventh Street) tem decoração inspirada no país vizinho, Moçambique, e uma clientela formada por intelectuais e artistas.

[INTERTITULO]Mesinhas na calçada.[/INTERTITULO] Boa parte dos edifícios da Seventh Street tem marquises. Além de proteger os pedestres em dias de chuva, elas permitem que restaurantes e cafés ponham mesinhas na calçada, outro charme do bairro. Em qualquer dia da semana, você consegue jantar enquanto assiste ao ir-e-vir de jo"burguenses arrumados a caminho da balada. Uma boa pedida é o Lucky Bean (16 Seventh Street), que oferece cozinha contemporânea com toques locais.

O ecletismo do bairro e sua atmosfera mais relaxada em relação aos condomínios e centros comerciais dos arredores o tornaram um dos preferidos dos turistas menos abastados. Para hospedá-los, pousadas foram abertas a poucas quadras da Seventh Street.

Uma delas, a Melville House (59 Fourth Avenue), é da escritora zimbabuana Heidi Holland. Quem se alojar lá por alguns dias inevitavelmente ficará a par do noticiário sul-africano: grande parte dos hóspedes são jornalistas e ativistas de ONGs estrangeiras que, ao se cruzar nas áreas comuns, travam animadas conversas sobre os acontecimentos políticos do país. / J.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.