Caprichos sem-fim de uma princesa checa

Praga é uma princesa europeia. E, como tal, gosta de ser cortejada. Assim, ostenta orgulhosa uma elegante torre em Staré Mesto, o centro histórico da capital checa. Ali, hordas de viajantes miram olhos e câmeras fotográficas ao alto para contemplar embasbacados o relógio astronômico, uma invenção preciosa datada do século 15. De hora em hora, doze apóstolos e símbolos dos pecados capitais em movimento desfilam no alto do badalado Orloj. E, de hora em hora, diversos pretendentes caem de amores pela cidade - principalmente com a sedutora vertigem sentida no alto da torre, diante de uma vista panorâmica impressionante.

PRAGA, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2012 | 03h11

Outro encanto magnetizante de Praga é a Ponte Carlos, construída em 1357 sobre o Rio Moldava. Com 516 metros de comprimento, a ponte é uma das principais artérias da capital, unindo o Castelo de Praga com as regiões de Malá Strana (cidade baixa) e de Staré Mesto (cidade antiga). Ocupada por feirinhas de arte e souvenirs, simpáticos músicos andarilhos, turistas se acotovelando e não raro apaixonados noivos asiáticos, a ponte é vigiada por 30 estátuas de santos. Uma das mais emblemáticas é a de São João Nepomuceno - ao tocá-la, diz a lenda, estará destinado a retornar a Praga.

Passada a ponte e uma leve trilha rumo ao topo da colina, o castelo Hradcany serviu de morada para reis, príncipes e princesas desde o século 9.º. Atualmente, é residência presidencial. Quase uma minicidade digna de nota no Guinness Book, o Livro dos Recordes, o castelo reúne vielas, torres, palácios, galerias, convento e catedral.

Mas além das atrações medievalescas de castelos e santos de bronze, a princesa é senhora de si. Ao longo da história, Praga viu passar conquistas, invasões, guerras, nazistas e soviéticos. Diferentemente, porém, de Budapeste e Bratislava, a capital checa foi poupada pelos céus. Saiu quase ilesa dos confrontos e bombardeios da Segunda Guerra Mundial. Assim, pôde manter o charme vintage, com mimos como exemplares das arquiteturas barroca, clássica, gótica, moderna, renascentista, romântica e art nouveau.

Além de Staré Mesto, Praga preserva atrações em Malá Strana e em Nové Mesto (centro novo) - simplesmente se deixe levar pelas ruas. Depois das andanças, um exótico sorvete de absinto na praça dedicada a Franz Kafka ou uma legítima cerveja checa em qualquer barzinho de esquina são alternativas para aliviar o calor primaveril. Ou, ainda, um café forte acompanhado por indecentes sobremesas no Kavárna Obecní dum, no térreo de uma construção art nouveau de 1912, decorada em estilo neobarroco e neorrenascentista, com elementos ocidentais e orientais. Museu? Quase. Trata-se da Municipal House, um dos mais importantes monumentos do país. Ali se reuniram artistas, intelectuais e políticos ao longo do século 20.

Ao pôr do sol, a cidade mergulha numa melancolia doce. Entre o esplendor vespertino e a agitação noturna, porém, seria interessante reservar umas horinhas para ver a vida passar na alma encantadora das vias, talvez de uma das pontes do Moldava. Isso porque, aviso aos cardíacos, a princesa se rebela à noite: há muitas casas noturnas instaladas em endereços inusitados, como o antigo cinema Roxy e o bunker Parukarka. Invista nelas.

É difícil não se render às artimanhas sedutoras da cidade. Supersticiosos tocam a estátua de São João Nepomuceno. Outros se esbaldam com milhares de fotos em cartões-postais da cidade. Mas muitos apenas se despedem momentaneamente, com o franco desejo de um dia voltar à fascinante Praga. /J.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.