Caribe no balanço do reggae

Balneário de férias dos norte-americanos há quase meio século, a Jamaica abre agora suas portas para o mercado latino. Famoso pelo reggae, mas pouco explorado pelos brasileiros, o país aposta na combinação tradicional de outras ilhas caribenhas: praias paradisíacas e luxuosos resorts all-inclusive.

BRUNO DEIRO / MONTEGO BAY, O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2011 | 03h10

Chegar à ilha está mais fácil. Este mês, a Copa Airlines passou a operar voos para Montego Bay, via Cidade do Panamá - desobrigando os turistas vindos do Brasil da conexão em Miami e, consequentemente, da necessidade do visto americano.

Localizada 120 quilômetros ao norte da capital Kingston, Mo'Bay (como a cidade é conhecida por lá) é o centro turístico do país. A maior parte dos visitantes, contudo, acaba conhecendo a ilha mais pela janela da van que traz e leva para o aeroporto e opta por ficar nos resorts. Compreensível: a sensação de ter crédito ilimitado no bar e praia particular é um convite à preguiça.

Nos resorts, é possível perceber o esforço dos funcionários para falar espanhol - você agradece em inglês por um drinque e recebe um "de nada" em troca. O Ministério do Turismo promete que, em breve, o idioma será ensinado nas escolas.

Aprimorar a interação entre os moradores locais e os visitantes, por sinal, tem sido o principal desafio dos jamaicanos. As dificuldades incluem táxis precários, falta de segurança e despreparo de comerciantes locais, que insistem numa abordagem incisiva.

Bob Marley. Na terra de Bob Marley, a cultura do reggae está por toda a parte. As músicas do cantor, morto há exatos 30 anos, embalam o clima relaxante da ilha, ideal para casais. Nas coloridas roupas, acessórios e souvenirs predominam o verde, amarelo e vermelho do rastafári. Apenas 2% dos 3 milhões de habitantes, porém, seguem os preceitos da religião - que incluem o uso da maconha, proibida na Jamaica apesar do alto consumo.

O país, que no ano que vem comemora 50 anos de independência, tenta expandir seu calendário de eventos. Nas próximas duas semanas ocorre a chamada All-in Party Season, com diversas festas pelo país em que todas as bebidas estão incluídas. Em fevereiro, mês do reggae, há shows por toda a ilha. Programe-se, porém, para evitar as duas temporadas de chuva: de maio a junho e de setembro a novembro.

Mo'Bay tem pouco a oferecer além dos resorts - dois dias são suficientes para relaxar nas águas quentes do mar caribenho e conhecer os poucos bares e restaurantes próximos. No resto do tempo, aproveite as principais atrações, em Negril e Ocho Rios. Mas nada de pressa: deixe que a batida cadenciada do reggae dite o ritmo de sua viagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.