Casa de Mestres

RENOIR

O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2010 | 02h18

RIVIERA

EM DETALHES - Refúgio de Pierre-Auguste Renoir em Cagnes entre 1907 e a sua morte, 12 anos depois, a casa foi transformada em museu. A visita provoca infinita sensação de déjà vu. Impedido de se movimentar por causa de uma forte artrite, o artista pintava o que via pelas janelas de Les Collettes, criando ali algumas de suas obras-primas

DESTAQUE - Pode ser até que o pintor esteja neste momento se revirando no túmulo, mas você terá a oportunidade de entrar no ateliê de Renoir. Enquanto ele estava vivo, só permitiu a visita de duas pessoas: Henri Matisse (1869-1954) e Amedeo Modigliani (1884-1920). Ficam ali a cadeira e o cavalete adaptados que Renoir usou nos últimos anos de sua vida

OBRAS EXPOSTAS - Lá estão quadros como Les Grandes Baigneuses (1901/1902), que mostra três damas nuas e rechonchudas, como convém a modelos de Renoir, e Coco Lisant (1905), retrato de Claude, filho do pintor

A CIDADE - Entre Nice e Antibes - e bem

menos famosa que suas vizinhas da Riviera Francesa - Cagnes tem um centro antigo que parece saído de um sonho, com casinhas de pedra enfeitadas com flores e, no horizonte, a silhueta de uma fortaleza, hoje chamada de Château-Musée Grimaldi

CONTATO - Chemin des Collettes, Cagnes-sur-Mer; entrada a 4 euros

Site: www.cagnes-tourisme.com

MONET

ALTA NORMANDIA

EM DETALHES - Apaixonado por jardinagem e pelas cores, Claude Monet fez do jardim da casa onde viveu por 43 anos (1883 a 1926), em Giverny, uma obra-prima natural. A residência de dois andares, na entrada do terreno, está montada como se o pintor ainda vivesse ali, cercado por seus oito filhos. Isso inclui uma cozinha equipada com o que havia de mais moderno à época e uma sala de costura

DESTAQUE - A parte externa é sem dúvida o ponto alto. Rosas, peônias, narcíseos e outras flores foram distribuídos como a formar pinceladas precisas. Quando tudo parece lindo demais, chega-se ao jardim aquático, onde estão as famosas ninfeias de diversas cores

OBRAS ES EXPOSIÇÕES - Não espere ver originais de Monet (para isso, é melhor ir ao Marmottan ou ao Orangerie Museum, em Paris). O que se destaca é a coleção de arte japonesa montada pelo mestre

A CIDADE - Giverny fica a 88 km de Paris e vive em torno de Monet. Além da casa, as atrações são o túmulo do pintor e o Museu do Impressionismo, que reduz a frustração de quem não encontrou obras do mestre em sua antiga residência. Tem boas exposições, em parceria com o Musée d"Orsay

CONTATO - 84, Rue Claude Monet, Giverny; entrada a 6 euros

Site: www.fondation-monet.fr

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.