Cenário nobre

Cenário nobre

Castelos de sonho e quartos de princesa não estão só em contos de fadas; transformados em hotéis e museus, eles encontam os turistas

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

25 Dezembro 2012 | 02h06

Era uma vez um país repleto de castelos e palácios. Cada um com uma característica encantadora: jardins amplos, quartos luxuosos, acervos de arte. Alguns até recebiam hóspedes, que assim podiam realizar o sonho do castelo próprio ao menos por algumas horas - ou, quiçá, dias de férias.

Duzentos anos depois da publicação dos contos de fadas dos Irmãos Grimm, Alemanha, França, República Checa e Itália (e mais alguns países, que não caberiam neste limitado espaço) ainda podem ser descritos assim. Todos eles guardam um impressionante número de castelos - só na República Checa são 2 mil, um pontilhado sem-fim no mapa de atrações do czechtourism.com.

Mais do que uma atmosfera lúdica, essas construções guardam histórias complexas, batalhas e lendas. O Castelo de Praga (hrad.cz), por exemplo, não era usado como residência da família real em meados do século 10, mas de altas autoridades eclesiásticas, como o bispo. Ao longo dos anos, a construção foi ganhando anexos - é possível observar alas de estilo romano, do século 10; gótico, do século 14; e até renovações do início do século 20.

 

Além de integrar a lista de Patrimônios da Unesco, o Castelo de Praga é considerado pelo Guinness Book, o Livro dos Recordes, como o maior complexo do tipo no mundo, com uma área de quase 70 mil metros quadrados.

E se essa já é uma atração fundamental no roteiro de quem visita a República Checa, há outros castelo menos conhecidos, que também valem a visita. O Hluboká (zamek-hluboka.eu) pode ser um passeio de um dia a partir de Praga - está a 130 quilômetros da capital. Construído no século 13, tinha como objetivo a defesa do reino da Boêmia. A fachada teve diferentes estilos no decorrer dos séculos, até chegar ao neogótico dos dias de hoje.

Além de visitar os aposentos e jardins do castelo, quem quiser prolongar sua estada por ali pode ficar no Hotel Chateau Stekl, a apenas 100 metros de distância. Construído no século 19, a casa também fazia parte da área do Hluboká originalmente e era usada como prédio administrativo. Hoje, virou uma hospedagem de padrão cinco-estrelas, com 44 apartamentos e piscina aquecida - a diária custa desde 1.700 coroas checas (R$ 185).

Ainda mais próximo a Praga está o Karlstejn (hradkarlstejn.cz), distante apenas 29 quilômetros da capital. Construído pelo Imperador Carlos IV para guardar ali seus tesouros, no século 14, tem diferentes tipos de tours disponíveis, focando áreas distintas do complexo. A construção faz parte da Rota dos Castelos (castleroad.de), via turística de 1.200 quilômetros que passa por cerca de 90 fortalezas entre Praga, na República Checa, e Mannheim, na Alemanha.

Se visitar um castelo não é o suficiente para embarcar numa atmosfera de conto de fadas, que tal explorá-lo de carruagem? Esta é uma das opções de passeio do Lednice (zamek-lednice.info), outro Patrimônio da Unesco no país. Erguido como forte, virou castelo no século 17, usado pela nobreza como casa de verão. A área tem quase 300 quilômetros quadrados, com uma estufa, aquário e até um minarete. Agora que o cenário está pronto, só falta você criar a história.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.