Cinco admiráveis caminhos de águas

Primordialmente usados para abastecer casas e bairros, aquedutos mantêm arquitetura intacta e surpreendem visitantes - que não economizam nos cliques

Bruna Tiussu - O Estado de S. Paulo,

26 Julho 2011 | 06h00

1. Arcos da Lapa

O cartão-postal carioca é composto de 42 arcos duplos e foi construído para abastecer de água os bairros mais distantes da cidade. Foi em 1896 que se transformou em viaduto de bondes sendo, até hoje, o principal meio de acesso ao alto do bairro Santa Teresa - passeio indispensável em uma visita à Cidade Maravilhosa.

 

2. Pontcysyllte

Construído há 206 anos, este Patrimônio da Humanidade (nomeado em 2009) logo ganhou destaque por ser feito de ferro fundido, com uma vertiginosa altura de 126 metros. Ele atravessa o vale do Rio Dee, no País de Gales, compondo o canal de Llangollen. E ainda cumpre sua tarefa original: cerca de mil barcos passam ali por ano.

 

3. Pegões

Foi construído no final do século 16, primordialmente para abastecer de água o Convento de Cristo, na cidade portuguesa de Tomar. Ao todo, são cerca de seis quilômetros de extensão - há como percorrê-los a pé, graças a uma plataforma que acompanha todo o curso d’água.

 

4. Cesarea

A cidade na costa mediterrânea de Israel não contava com água potável suficiente nos tempos do Império Romano - problema resolvido com a construção do aqueduto que trazia água desde o Monte Carmelo. Hoje, o monumento é um dos mais bem preservados da região.

 

5. Segovia

Prova viva da engenhosidade dos romanos, o monumento atrai milhares de turistas à cidade espanhola. Esteve em uso até meados do século 20, quando abastecia o destino com águas do Rio Frio, a 16 quilômetros dali.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.