Ricardo Freire/Estadão
Ricardo Freire/Estadão

Cinco passos para enxugar seu roteiro

Existe uma recomendação clássica para arrumação de mala, que manda pôr sobre a cama todas as roupas que você acha que vai usar - e então cortar pela metade. Na montagem de roteiros este método também é eficaz.

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2013 | 02h15

1. Divida o número de dias pelo número de lugares onde você pretende dormir.

Se o resultado for menor que 2, você está planejando uma corrida com obstáculos. Igual a 2, o seu roteiro teoricamente não exige um esforço sobre-humano para ser cumprido. Com resultado igual a 3, o ritmo já está mais gostoso. Se der 5, sua viagem será tranquila e recheada de descobertas.

2. Calcule realisticamente o tempo do deslocamento.

Acrescente 3 horas à duração do voo (para deslocamento, check-in etc) e pelo menos meia hora a qualquer viagem de trem ou ônibus. De carro, subtraia 30 quilômetros da velocidade máxima permitida na estrada.

3. Imagine-se executando também a parte chata das etapas.

Ponha no papel quantos dias o despertador vai acordar você de madrugada; quantos você vai cabular o café da manhã; ter conexões apertadas; vai chegar antes da hora do check-in ao hotel (ou tarde da noite, sob risco de dar "no show"). Procure restringir esse estresse ao mínimo.

4. Por que você está parando em cada um desses lugares?

Elimine os desvios que servem apenas para aumentar a contabilidade de lugares ou países que você vai "conhecer" numa viagem só. Há, por exemplo, quem saia da Alemanha ou de Londres para dar uma passadinha em Bruges, na Bélgica.

5. Elimine as redundâncias.

Em vez de pegar uma bela praia como se deve, perdemos o dia zanzando de praia em praia sem aproveitar nenhuma. Em vez de usar a experiência de quem foi e escolher vilarejos representativos de uma região, resolvemos que temos que bater ponto em todos. O objetivo de uma viagem é criar uma sequência de dias gostosos e memoráveis, em que você vai ver velhos conhecidos, fazer descobertas próprias, se divertir e vai para a cama com a sensação de estar de férias, e não de ter cumprido compromissos de trabalho.

Mais conteúdo sobre:
Ricardo Freire

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.