Bruna Tiussu/AE
Bruna Tiussu/AE

Clima jovial em cenário renascentista

Típica cidade universitária, Augsburg ergueu o primeiro sistema habitacional social, em 1521: para viver ali era preciso ser católico, honesto e de baixa renda

Bruna Tiussu , O Estado de S. Paulo

26 Abril 2011 | 06h00

Os jovens espalhados pelo calçadão da Rathausplatz (praça da prefeitura), logo que o sol ameaçava se pôr, davam o primeiro indício da atmosfera viva de Augsburg. Basta um fim de tarde de clima agradável como aquele do início do verão passado para grupos de universitários tomarem conta do ponto mais central da cidade. Simplesmente para jogar conversa fora, dar risada e compartilhar cervejas.

A 70 quilômetros de Munique, a típica cidade universitária de hoje é a terceira mais antiga do país: foi fundada há mais de 2 mil anos durante a expansão romana, a mando do imperador Augusto - daí seu nome. Serviu de campo militar e, mais tarde, ganhou construções formidáveis que a tornaram o local mais renascentista da Alemanha.

O próprio Rathaus é o mais notório deles. Erguido entre 1615 e 1620, exibe um par de domos no topo e abriga, no interior, incríveis murais, tetos completamente decorados e uma sala toda em ouro, que atualmente pode ser visitada e alugada para recepções. Ao lado, fica a torre do relógio, outro marco histórico, de onde se tem a panorâmica completa da cidade: basta subir os 260 degraus que levam ao topo.

Com um mapa na mão, é fácil achar outros pontos turísticos. Como a catedral, com afrescos também renascentistas e vitrais do século 12, e o principal museu, o Maximillian. Seu grande salão, coberto por um telhado de vidro, abriga algumas das esculturas originais que embelezavam a cidade e, mais tarde, foram substituídas por réplicas.

Exemplar

Jakob Fugger é o nome mais conhecido em Augsburg. O importante banqueiro e mecenas ergueu na cidade, em 1521, o primeiro sistema habitacional social do mundo, o Fuggerei. Dos moradores dos 140 apartamentos era cobrado apenas a simbólica quantia de 1 florence (cerca de 0,90) por ano. Desde que cumprissem, é claro, alguns requisitos: ser de Augsburg, católico, honesto e de baixa renda.

Em uma visita (4 euros) pode-se conhecer o apartamento de número 14, que permanece da maneira original. O espaço foi lar do avô de Franz Mozart - o compositor é um dos mais célebres filhos da cidade. O de número 51 é um exemplo de moradia moderna (e também recebe turistas), já que o sistema continua vigente até hoje. O precinho continua o mesmo, assim como as exigências a serem cumpridas. E os residentes atuais ainda têm uma vantagem: podem dividir e decorar o espaço a seu gosto.

Paredes decoradas em Oberammergau

O dourado em volta das janelas e portas lembram os tempos da monarquia. Cenas lúdicas, com personagens de contos de fadas, dão graça às fachadas das lojas. E como num efeito de continuidade, a natureza alpina do entorno está nas pinturas que alegram as paredes das casas. Cada air painting de Oberammergau, como a que ilustra a capa desta edição, merece o olhar atento - e um registro fotográfico.

Por estes detalhes, a arquitetura medieval ou a simpatia da população, a cidade merece uma visita. Caminhe sem pressa, vá à Pilatushaus, onde artistas trabalham em peças artesanais, e ao teatro supermoderno, casa da mais famosa Paixão de Cristo do mundo. Encenada de dez em dez anos (a próxima será em 2020), envolve, entre atores e parte técnica, mais de 2.400 moradores.

O que levar

Tênis confortável

Para chegar aos castelos sempre há um trecho a ser percorrido a pé. É também caminhando que se explora os centros de cada destino, por conta ou em um city tour pré-agendado

Dinheiro em espécie

É bom ter sempre notas de euros na carteira. Muitos restaurantes, bares e lojinhas tanto das cidades pequenas quanto as de Munique e Augsburg não aceitam cartão de crédito

Dicionário

Placas e informativos estão sempre em inglês, e a língua é falada pela maioria dos habitantes. Mas se mesmo assim quiser trocar algumas palavras em alemão, um dicionário vai ajudá-lo

Artesanato

Em Oberammergau, você vai querer investir em peças de madeira, como máscaras e móbiles coloridos, e outras de decoração feitas de bronze e ferro que os artesãos fazem na sua frente

Cervejas

Cada cidade da Baviera conta com as suas artesanais. Antes de embarcar no voo, é preciso acomodar as garrafas na mala que será despachada - elas não são permitidas na bagagem de mão

Souvenirs básicos

Há de canecões da Oktoberfest a miniaturas dos castelos de Ludwig II

Mais conteúdo sobre:
Viagem Augsburg

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.