Viagem

Vietnã une aventura e conhecimento e tem a cidade mais barata do mundo para turistar

Eleito o 7º melhor destino para 2016, país oferece ritmo frenético nas cidades grandes, paz da natureza, belas praias e boa culinária

08/12/2015 | 05h00    

Bruna Toni - O Estado de S. Paulo

5 imagens

Daqui a poucos dias, em 19 de dezembro, o Rio de Janeiro ganhará o futurístico Museu do Amanhã, em prédio assinado pelo arquiteto catalão Santiago Calatrava. Em frente, na Praça Mauá, funciona desde março de 2013 o Museu de Arte do Rio, famoso pela cobertura suspensa com design de onda. Os dois museus integram o projeto Porto Maravilha, uma ampla requalificação da região portuária da cidade. E são ícones de um Rio que se prepara para ser, mais uma vez, protagonista do turismo brasileiro (e mundial), como sede da Olimpíada de 2016.

Só isso justificaria a votação unânime que a cidade recebeu pelos jurados na escolha do Viagem de destinos para visitar no próximo ano. Mas há outra razão: neste 2015 de crise e dólar instável, muitos brasileiros estão trocando os destinos no exterior pelos nacionais nos seus planos de viagem. 

A tendência vem sendo detectada pela Sondagem do Consumidor: Intenção de Viagem, feita mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas para o Ministério do Turismo. A pesquisa, em 2 mil domicílios e referente a novembro, detectou que, dos brasileiros dispostos a viajar nos próximos seis meses, 81,7% pretendem ir a destinos nacionais, e 13,8% ao exterior. Em novembro do ano passado, o Brasil foi escolhido por 79,6% dos entrevistados; roteiros internacionais estavam nos planos de 13,8%.

Tal preferência pelo Brasil levou a outra votação unânime, Fernando de Noronha, e na escolha de destinos internacionais mais baratos, de maneira geral.

Os motivos que levaram Belém a ser o 3º destino mais votado você descobre a seguir. Para saber quais foram os outros nove lugares, quem foram os jurados e como a nossa eleição foi feita, clique aqui. / Mônica Nóbrega

7º VIETNÃ

Espalhados pelos 331 mil quilômetros quadrados do estreito e comprido território do Vietnã, costumes e paisagens compõem um roteiro que, como aponta a diretora da Braztoa, Magda Nassar, mescla aventura e conhecimento. E com economia: Hanói, a capital vietnamita, tem a melhor relação custo-benefício entre 40 destinos turísticos pelo mundo, segundo a mais recente pesquisa TripIndex Cities, do site de avaliações turísticas TripAdvisor.com.br. Por três noites em hotel quatro-estrelas, mais transporte, alimentação e passeio, duas pessoas gastam uma média de US$ 732,18. 

Do frenesi de um trânsito formado por 6 milhões de motos em cidades como a capital Hanói e a cidade mais populosa, Ho Chi Minh, à calmaria de seus rios e da Baía Ha Long, com três mil ilhotas e patrimônio da Unesco, o país faz do contraste um atrativo para diferentes gostos. E, por falar em gosto, a caudalosa e saudável gastronomia é outro destaque.

De norte a sul, faça paradas em cidades litorâneas como Nha Trang e Mui Né. Em Ho Chi Minh, Fabio Porchat recomenda: “não deixe de ir ao campo de batalha” localizado no distrito suburbano de Cu Chi, onde ficam os túneis subterrâneos usados como abrigo pelos vietcongues durante os dolorosos anos da Guerra do Vietnã”. Ou dos Americanos, como eles chama o conflito. 

Apesar de a maioria da população não falar inglês, há guias e traduções nos principais pontos turísticos. É um bom destino para mochilões – o que garante uma viagem ainda mais econômica. Prefere pacote? Com a Adventure Club, 7 noites custam US$ 1.660, sem aéreo. Mais: oesta.do/dicasdesaigon.