Com sol ou à noite

A grande estrela de Bryce Canyon são as chaminés de fada, uma incrível floresta de colunas de pedra formada pelo processo moroso de erosão, que desenhou formas e criou diferentes vãos nos platôs. O cenário está disposto em um vale em forma de anfiteatro. Na parte mais alta, o parque tem 13 mirantes panorâmicos. Ao todo, são oito trilhas sinalizadas. Algumas moderadas, como a Navajo Loop, de 2 horas de caminhada. Outras mais pesadas, como a Fairyland Loop, que pode levar 5 horas.

O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2012 | 02h12

O dia é especial em dois momentos específicos: ao nascer e ao pôr do sol, quando a luz explode o calcário de laranja. Outra particularidade do lugar é a claridade do ar, que proporciona uma visibilidade de 250 quilômetros. Em dias extremamente claros, é possível ver o norte dos Estados do Arizona e Novo México. O céu de Bryce Canyon atinge 7,5 graus na escala Bortle - o máximo é 8 -, que mede a quantidade de luz e a intensidade da escuridão. Traduzindo, é possível ver 7,5 mil estrelas a olho nu em noite de lua nova.

Essa combinação faz de Bryce Canyon um dos raros locais talhados para caminhadas noturnas. Três vezes por mês, os guardas-florestais organizam a Moon Hike, uma caminhada de 2 horas pelo parque em noites de lua cheia (é necessário reservar pessoalmente o passeio no Centro de Visitantes). Outra possibilidade é o Night Sky Program, que reúne guias e voluntários para noções de astronomia e observações com telescópios - a frequência varia de uma vez por semana, no inverno, a até três vezes, no verão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.