Jumana El Eloueh/Reuters
Jumana El Eloueh/Reuters

Comer e se fartar, com ou sem grife

Comer em Dubai é fácil - a culinária segue o perfil internacional da cidade. Ao longo da badalada orla da Dubai Marina há restaurantes de várias nacionalidades: italianos, franceses, japoneses... Mas vale fazer, no mínimo, uma refeição em locais onde a concentração de turistas é menor, como o Ravi Palace Restaurant, de culinária paquistanesa.

O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2013 | 02h09

O tradicional restaurante, aberto desde 1978, tem cinco unidades - a mais ajeitadinha fica na Avenida Satwa Road, quase esquina com a Dhaiyafa Road. Ali, a classe média local come sem luxos: as toalhas são recobertas por plástico transparente e é através deles que se pode ler o folheto com as opções do cardápio.

Para acompanhar os pratos bem preparados (em que predominam frango e vegetais) e baratos (a média é 20 dirhams ou R$ 11), chegam à mesa pães deliciosos - um do tipo folha e outro mais grosso, levemente adocicado e coberto com gergelim. Eles serão bem úteis na hora de acalmar o ardor da pimenta, presença constante nas receitas.

Outra opção, bem mais descolada, é o Bastakiyah Nights, em uma antiga residência do bairro de Bastakiyah, centro histórico da cidade (3c Street). O pátio interno, tradicionalmente usado por mulheres e crianças, ganhou mesas ao ar livre, tendas e sofás. Nas áreas internas do restaurante, há detalhes arquitetônicos curiosos, como uma ripa de madeira na passagem das portas, que nos força a olhar para baixo para não tropeçar (curvar-se ao entrar em um local era uma demonstração de respeito e reverência ao ambiente e ao morador).

Aplaque o calor com um lemon mint, suco de limão com hortelã, super-refrescante. O cardápio de preço fixo (168 dirhams ou R$ 90 por pessoa) inclui antepastos - homus, babaganush e coalhada seca -, sopa, prato principal e sobremesa.

Iguarias. No quesito alta gastronomia, só no hotel Atlantis estão duas opções respeitáveis: o japonês com influências peruanas Nobu, premiado com estrelas Michellin nas unidades de Las Vegas e Londres; e o Ossiano, com frutos do mar do Mediterrâneo, Pacífico e Índico. No centro da cidade, o Shahista tem excelente cozinha afegã. No cardápio, carnes e aves temperadas com especiarias como açafrão, canela e cardamomo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.