Matthew Farrell
Matthew Farrell

Antes de viajar

O que você precisa saber para embarcar à Antártida

O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2017 | 04h26

Como ir

Várias empresas de cruzeiros levam à Antártida, boa parte saindo de Ushuaia, na Argentina. Viajamos com a Polar Latitudes (cruzeiros de 12 dias a partir US$ 7.995). Quem pretende economizar ou busca uma oferta incrível para ir á Antártida pode separar alguns dias em Ushuaia para tentar as promoções de última hora, os chamados "last minute deals". Como as armadoras evitam sair com cabines vazias, muitas vezes acabam baixando os preços para quem topa embarcar no mesmo dia, ou no dia seguinte. É possível encontrar opções na faixa dos US$ 5 mil, mas nada é garantido. É mais fácil encontrar ofertas no início ou no final da temporada.

 

Quando ir

De outubro a março, da primavera ao verão no Hemisfério Sul. Com menos navios, o começo da temporada é a época do acasalamento. A partir de janeiro, há filhotes, aves e baleias.

 

Dicas 

Vestir-se em camadas: As empresas emprestam (ou até dão) casacos de qualidade para as saídas externas. Por baixo, vista-se em camadas: comece por duas meias térmicas ou de lã.  No corpo, calça e blusa de segunda pele de tecido sintético. Em seguida uma ou duas camadas de fleece térmico grosso no peito ou nas pernas. Casacos de pluma de ganso ou "duvet" podem ser um extra para dias muito frio. Calça impermeável. Par de luvas finas mais par impermeável. Não se preocupe, pois a maior parte dos navios empresta galochas de qualidade para as saídas. 

Enjoo: Na Passagem de Drake e nos outros dias de navegação em oceano aberto o navio balança muito -  é comum os passageiros tomarem remédios antienjoo como Dramin. Os médicos a bordo costumam receitar e medicamentos específicos. Adesivos com sustâncias e pulseiras que pressionam pontos específicos também são artifícios usados.

Plano de saúde: É recomendável um seguro com apólice de, no mínimo U$S 150 mil. 

Equipamento fotográfico: A melhor câmera é aquela com a qual você está familiarizado. Essa é a regra básica para decidir qual equipamento levar. Muitos se satisfazem com seus celulares enquanto outros preferem câmeras leves. Boa parte dos animais está a alguns metros de distância e não é permitido se aproximar deliberadamente dos bichos. Por isso muitos escolhem câmeras profissionais com lentes de até 500mm. É importante considerar um tripé se estiver fotografando a uma distância muito grande. 

Cuidados com o corpo: Por ter mais de 16 horas por dia de sol - podendo chegar a dias inteiros com luz - a Antártida demanda cuidados com a pele. Protetor solar fator 50 ou 60 é obrigatório no rosto, bem como protetor labial. Lembre-se, vento também queima. Em dias com muito vento uma balaclava pode fazer a diferença. óculos escuros e até máscaras de esqui são muito úteis nos dias mais luminosos. Tome muita água e, na cabine, não esqueça o hidrante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.