Como na casa da avó

A extraordinária pousada de Anne Edris na Avenida C não tem nenhum sinal exterior, a não ser as coloridas, porém discretas, pastilhas na calçada que formam as iniciais do East Village Bed & Café (bedandcoffee.com). Dentro, o lugar é um pouco loft (pé direito alto, tijolos expostos), um pouco garagem (ferramentas e bicicletas) e um pouco galeria de arte (a decoração tem um mural feito com páginas de diários de viagem da avó da proprietária).

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2012 | 03h09

Cada quarto (US$ 120 o single e US$ 145 o duplo) tem um tema diferente - há, por exemplo, os holandeses e afegãos. Fiquei no observatório, que dava para a rua, mas com janelas antirruído, para manter distância do barulho da cidade, uma boa sacada.

Os caprichos não param por aí. Cozinhas bem equipadas, salas onde dá para se sentir em casa e até protetores auriculares grátis. Uma espécie de enciclopédia de menus de restaurantes delivery está disposta pela mesa. Eu pedi um banquete Dumpling Man (dumplingman.com) por US$ 12. Há bicicletas livres (com capacetes), bastante úteis, já que o metrô mais próximo fica a 15 minutos de carro. Os banheiros de uso comum são limpos e cheios de amenities.

Mas o melhor é Mango, o cão de Edris, resgatado em uma rua de Porto Rico, que agora vive sua segunda encarnação como um amável e bem-comportado vira-lata do East Village, disponível para quantidades ilimitadas de carinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.