Como um presunto fora da geladeira

Nosso correspondente britânico manda notícias de um vilarejo cujo nome não quer revelar. Mr. Miles informa que acha insuportável o movimento nas cidades grandes nos dias que precedem o Natal e se decidiu por um retiro na companhia de Trashie. A seguir, a pergunta da semana:

Mr. Miles, O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2014 | 02h06

Toda terça-feira fico ansiosa pela chegada do meu jornal impresso e por seu texto - é muito fofo e meigo. Quanto ao fato de ser muito econômica, já usei um guia superantigo de Nova York. O risco de alguns lugares não existirem mais é muito grande... Será que deixo de lado o aspecto pão duro e invisto num guia novinho?

Celina Mercúrio, por e-mail

"Dear Celina: em primeiro lugar, obrigado por achar meu texto fofo e meigo, embora, com meu português incipiente, eu não entenda bem o que isso quer dizer. Sua pergunta, by the way, também me soou pouco clara - portanto, está na hora de eu voltar às lindas terras de Santa Cruz para praticar seu idioma, que, para mim, anda um tanto sem fio.

Pelo que pude entender, however, você está se declarando uma pessoa econômica. Não é problema: os escoceses são muito conhecidos como avarentos, mas isso não impede que produzam ótimos single malts. Aliás, é de um desses que eu preciso para compreender o resto de sua missiva.

Parece-me, I'm sorry to say, uma espécie de 'samba do crioulo doido' - que, nowadays, oh my God, deve chamar-se samba do afro-brasileiro mentalmente prejudicado (ou seria especial?). Vou, portanto, discorrer sobre alguns dos pontos que reconheci em sua carta. Guias de viagem, of course, envelhecem na mesma velocidade com a qual os destinos mudam. Seu guia 'superantigo' de Nova York, for instance, pode sugerir que você suba no último andar do World Trade Center para desfrutar de uma vista magnífica sobre Manhattan. Não, não é o autor que enlouqueceu; apenas sua obra foi ultrapassada pelo tempo.

Por mais contraditório que isso soe, dear Celina, os guias de viagem com maior prazo de validade são aqueles menos específicos, que não se ocupam de detalhes como mencionar a qualidade de hotéis, os restaurantes da moda e, sobretudo, as baladas mais concorridas. Os que trazem tais detalhes são ótimos mas, unfortunately, duram tanto quanto um presunto fora da geladeira. Isso ocorre porque hotéis mudam de donos, são reformulados ou fecham. Restaurantes correm o mesmo risco - e são ainda mais fugazes se estiverem 'na moda'. Nesses casos, prefira as indicações de casas mais tradicionais, que correm menos risco de durar pouco e, of course, informe-se, em seu destino, sobre o que anda fashion durante sua jornada.

Baladas são ainda mais volúveis. Uma casa que está atraindo milhares de pessoas hoje pode ficar às moscas em poucas semanas. By the way, elas se reproduzem como coelhos nas metrópoles com muitos estudantes, o que torna ainda mais difícil encontrar os membros de sua tribo.

Há guias ainda mais completos que mostram como funcionam o metrô, os ônibus, os trens de subúrbio e outros serviços de cada cidade. Eles são, in fact, utilísssimos para que o leitor esteja informado como e onde comprar seus bilhetes. Ocorre que, frequently, os governantes ou proprietários desses serviços mudam de ideia, aperfeiçoam (ou pioram) sua maneira de operar e... well, essas páginas do guia já podem ser usadas como forro de gaiola de papagaio.

Therefore, darling, compre um guia atualizado se você for viajar. Eu sei que pode custar muito... especialmente para pessoas econômicas. Espero que você consiga parcelar sua compra sem juros, no cartão de crédito."

MR. MILES É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO. ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E 16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

Mais conteúdo sobre:
Mr. Miles

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.