Paulo Vitor/Estadão
Paulo Vitor/Estadão

Corpus Christi, 31 de maio

Quatro dias de folga

O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2018 | 04h50

Família 

Campos do Jordão 

Na Serra da Mantiqueira, a cidade mais alta do Brasil – são 1.628 metros acima do nível do mar – é porto seguro de casais e famílias há muito tempo, principalmente no inverno, a altíssima temporada. Para economizar sem deixar de curtir o frio, este é o melhor feriado. O tempo curto de deslocamento é outra vantagem: são apenas 2h40 de carro partindo de São Paulo. Chegando lá, desfrute de seus chocolates quentes, que se revezam com as cervejas nas mesas dos restaurantes e bares do bairro Capivari – a da cervejaria Baden-Baden é a mais famosa. Embarque no teleférico até o Morro do Elefante para contemplar a cidade e procure pelas trilhas do Horto Florestal e dos jardins do Parque Amantikir para sair um pouco do clima compras e badalação e curtir também um pouco da natureza.

Sozinho  

Jericoacoara 

É verdade que pôr do sol é sempre pôr do sol. Mas, dependendo da paisagem que o cerca, ele se torna único. Em Jericoacoara, ver o ocaso do sol se tornou programa clássico no fim de tarde – todo mundo procura o melhor ponto da duna para assistir ao espetáculo diário. O clima na vila cearense, aliás, é ditado pela natureza: brasileiros e estrangeiros aproveitam para relaxar numa rede sobre as águas de suas lagoas, ou sentando em um de seus muitos restaurantes para se servir de peixes e frutos do mar.

Como tudo é muito perto, a vila fica sempre movimentada e o astral sempre alto, sendo bastante tranquilo passear por ela sozinho. Ainda mais agora, com a inauguração do aeroporto em Cruz, a apenas 1 hora de Jeri, para onde Azul e Gol já têm voos diretos. E mesmo os passeios clássicos, de bugue ou quadriciclo, são feitos em grupo – as próprias agências e bugueiros se encarregam de encaixá-lo com um grupo, para baratear os custos. As noites de forró também são ótimas para quem está só se enturmar.

 Como ocorre com Campos, junho é o mês que antecede a alta temporada em Jeri, antes das férias de julho e dos ventos de agosto, tão procurados para o wind e o kitesurfe. Isso significa que junho é o mês para fugir da lotação e dos preços altos (mas é época de chuva). Fique atento à nova taxa de permanência cobrada pela prefeitura da vila: R$ 5 por dia/pessoa. 

Casal 

São João de Campina Grande 

É difícil não se contagiar com o forró da tradicional festa de São João da cidade paraibana. O evento, que concorre com o de Caruaru (PE), é um convite a casais interessados em dançar, provar comidinhas típicas e se jogar na festa. Em Campina Grande, o arraial já tem data: vai de 1º de junho a 1º de julho. Este ano, será dividido entre o Parque do Povo, que mantém apenas as quadrilhas na Pirâmide, e o Polo de Eventos Ronaldo Cunha Lima, ligado ao antigo parque por um corredor. Este último abrigará os palcos, o Museu da Sanfona e espaços para a literatura de cordel. 

Grupo

 

Chapada dos Veadeiros

Por causa das férias de julho, junho é o mês de melhor custo x benefício em diversos destinos nacionais. A Chapada dos Veadeiros, em Goiás, entra nesse grupo, já que entre abril e outubro é período de seca, facilitando a travessia das estradas para se chegar a cachoeiras inesquecíveis. Um feriado de quatro dias é o mínimo para aproveitá-la bem, considerando que para chegar a uma de suas três bases (Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante) é preciso voar até Brasília e de lá seguir de carro ou ônibus. Como nas demais chapadas, o essencial dessa viagem é o contato com a natureza, mas em feriados e épocas de férias há sempre muitos grupos dispostos a festejar, sobretudo na vila de São Jorge, sem falar do astral esotérico de Alto Paraíso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.