Delícias tradicionais nas ruas e mercados

São tantas possibilidades gastronômicas em Madri que, às vezes, fica até difícil saber para onde ir. Um bom começo é desbravar os mercados populares, que além de darem um bom panorama do que os espanhóis colocam à mesa, oferecem tapas e porções saborosas.

MADRI, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2014 | 02h06

É o caso do centenário Mercado de San Miguel (Praça de San Miguel, s/n; mercadodesanmiguel.es), o mais conhecido dos turistas, nas proximidades da Praça Mayor. O rebuliço ali é tanto que você pode sair sem ter certeza de que andou por onde queria - não que isso seja exatamente um problema. Enquanto é arrastado pela maré, peça cañas (cervejas pequenas) ou taças de vinho branco e belisque ao acaso nas mais de 30 barracas. A chance de acerto é alta.

Caso queira um plano, o El Señor Martin oferece gaspacho (sopa fria de tomates) com lagostim e delícias galegas, como o medalhão de rape (tamboril, € 9 a porção) ou o percebe (pescoço de ganso temperado, € 18). No vizinho Moz Heart, de donos italianos, os protagonistas são a muçarela e a burrata, base de tapas com sabores salgados e agridoces suaves. A maioria dos turistas se empoleira no El Pescado Original, uma cervejaria especializada não só em tapas, mas também em porções - prove o pimiento de padrón, uma saborosa variedade de pimentão. Para a mais econômica das alternativas, vá a La Casa del Bacalao, com cuidadosos preparos de bacalhau com torradas a € 1 cada. Para dulcificar a visita, passe pelo Horno de San Onofre, do outro lado do mercado.

Menos ruidoso, o Mercado San Antón (Rua Augusto Figueroa, 24; mercadosananton.com), em Chueca, é uma materialização mercadológica contemporânea em todos os seus detalhes: tem frutas e delicatessens padrão Projac; espaço cultural, oleoteca (loja de óleos e azeites), queijaria, carnes de caça; cozinha cosmopolita ambiciosa no segundo andar; sofás, abajures e mantas no café-restaurante do terraço. Esse último é o espaço La Cocina de San Antón, que cobra para cozinhar as carnes e peixes frescos que você acabou de comprar.

Em contraste com o alto nível de San Miguel e San Antón, o mercado de San Ildefonso é uma opção mais acessível. As comidas são menos elaboradas - há, sobretudo, embutidos, frituras e sanduíches. Para beber, as possibilidades se multiplicam: de cerveja a espumante, passando por todo tipo de drinque.

Entre tapas e 'birras'. Fora dos mercados, os bares de tapas são obrigatórios - peça uma birra (cerveja) para acompanhar. O bairro La Latina concentra muitos deles, especialmente na Rua de la Cave Baja e nas imediações da Praça de la Paja. Entre as muitas opções, o bar andaluz La Perejila traz os sabores do sul do país. O gaspacho caseiro, as almôndegas e as torradas são sempre boas pedidas. Na mesma rua, no número 15, a filial do La Sureña é a opção certa para gastar pouco.

No bairro vizinho Lavapiés, os bares estão um pouco mais dispersos, mas a Rua Argumosa reúne opções para um happy hour relaxado. O La Buga del Lobo tem grafites, mesas na calçada e ótimas opções de drinques, chás e cafés, além de tapas e pratos com influência de cozinhas do mundo todo. Boa pedida também no almoço. /THIAGO MOMM e GABRIELA MARTÍNEZ, ESPECIAIS PARA O ESTADO

Quer procurar outros restaurantes que não

estão na nossa lista? O site 11870.com reúne

recomendações de outros clientes - nas avaliações

sobre Madri, tende a ajudar mais que o TripAdvisor

A Rua Ponzano, onde fica o restaurante Sala

de Despiece, é repleta de outras boas pedidas

gastronômicas. O guia Time Out deu um giro por lá

e avaliou as casas - confira em oesta.do/calleponzano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.