Desbravando a Califórnia, pela costa

Viajarei a negócios a Palm Springs, na Califórnia. De lá, pensei em ficar três dias em Los Angeles e depois partir de carro pela costa a São Francisco, continuando ao Vale de Napa ou Sonoma, por mais 7 dias. O que recomenda? (Renato, São Paulo)

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2015 | 02h06

O sentido mais conveniente para fazer a costeira da Califórnia é o norte-sul: de São Francisco a Los Angeles. Assim, nos trechos em que a Highway 1 vai beirando a costa (sobretudo na parte mais setentrional do percurso, de São Francisco a Big Sur), você estará do lado certo da estrada para estacionar nos mirantes - e nunca terá carros atrapalhando a sua paisagem.

A minha recomendação é que você voe de Palm Springs a São Francisco - um voo de 1h30. Fique quatro noites em São Francisco; no último dia, faça um passeio ao Vale de Napa, que está ao norte da cidade. Você pode alugar um carro ou, se quiser fazer visitas a vinícolas e degustações sem temer as blitze da polícia (sim, eles sabem o motivo que leva os turistas para a área!), encaixe-se num passeio organizado. Caso prefira um guia particular, a blogueira brasileira Maryanne McD, do Hotel California Blog, faz tours individuais ou em pequenos grupos (oesta.do/californ).

Saia cedo no quinto dia pela costeira, para almoçar em Monterey e visitar o seu magnífico Aquário. No fim da tarde, pague o pedágio de US$ 10 para entrar no condomínio de Pebble Beach e rodar lentamente pela 17-Mile Drive, a estradinha à beira-mar mais bonita e bem cuidada que você já percorreu. Ao passar pelo portão de saída, você já estará praticamente em Carmel, outro vilarejo no qual tudo é perfeitinho, onde você deve dormir esta noite.

O sexto dia é o dia de percorrer Big Sur, onde estão as vistas mais dramáticas e as praias mais bonitas. Procure Pfeiffer Beach e marque um almoço no Post Ranch Inn, um hotel debruçado no precipício que é sinônimo de Big Sur (reserve pelo opentable.com). À tarde, dê uma passadinha no curiosíssimo Hearst Castle (um castelo fake, mas feito a sério, como só um rico americano poderia imaginar) e durma na semirriponga San Luis Obispo.

O cardápio do sétimo dia inclui passear pelas vinícolas do Vale de Santa Ynez (leia-se: Sideways, o filme), almoçar no restaurante Hitching Post II (uma das estrelas do filme, reserve pelo opentable.com) e fazer a digestão na pitoresca Solvang, uma cidade de imigrantes dinamarqueses na Califórnia. Você poderia dormir esta noite em Santa Bárbara, mas como está apertado de tempo, continue até Los Angeles, para dormir as últimas quatro noites.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.