Deslizes no vulcão

Estação de esqui mais nova do Chile, a isolada Corralco se esparrama na encosta do Lonquimay. E, com hotel próprio inaugurado recentemente, desponta como opção de esportes na neve sem multidão

ÍTALO REIS / TEMUCO, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2014 | 02h06

Todo aquele branco pela primeira vez surpreendeu. Neve, algumas árvores e talvez uma montanha ao fundo, conforme o ponto de onde partia o olhar. Num quarto aconchegante e aquecido, você pode despertar para ver uma floresta de araucárias milenares ou o vulcão Lonquimay, ambos pintados de branco, pois a neve não é pouca na região. Se for passageiro de primeira nevasca como eu, sua reação será tirar uma foto da vista na janela. Caso já seja experiente, é provável que queira registrar o momento mesmo assim, pois, de qualquer forma, é uma cena única. Apenas a primeira das boas surpresas reservadas pelo Corralco Mountain & Ski Resort.

O centro de esqui no sul do Chile é um dos mais novos do país, com cerca de dez anos de existência - e só em meados do ano passado inaugurou seu hotel, o que facilita muito a vida dos esquiadores. Temuco fica a 120 quilômetros e no caminho há apenas poucas opções de pousadas.

A mudança na paisagem é perceptível ainda na estrada, durante a viagem de aproximadamente duas horas desde o aeroporto de Temuco. A chegada, à noite, preserva um ar misterioso; quando você acorda no dia seguinte, a janela escancara a belezura.

Depois de um café da manhã reforçado, é hora de enfrentar a neve. Uma dica importante: na região não há locais para aluguel de roupas impermeáveis, então é indispensável levá-las na mala. Na área da recepção você encontrará os responsáveis por orientar as excursões: converse com eles sempre na noite anterior para saber condições climáticas e a melhor opção de passeio para a manhã seguinte.

Durante minha estadia, não falharam. O primeiro dia foi de tempo fechado e neve, então não seria o ideal para se aventurar pela primeira vez no esqui. A manhã seguinte, porém, foi ótima: sol, céu azul e pistas com neve fresca e fofinha. Vamos esquiar!

Em menos de 5 minutos, um micro-ônibus leva os hóspedes até a escola de esqui aos pés da cratera Navidad do vulcão, a 1.480 metros de altitude. Ela tem esse nome pois se formou numa erupção no Natal de 1988, última registrada na região.

Novidades. Nesta temporada, o centro de esqui passa a contar com um total de 26 pistas, sendo cinco para iniciantes, e seis lifts que levam ao topo da Navidad. Um novo trecho está para ser inaugurado e levará até a parte mais alta da cratera, a 2.400 metros de altitude, com acesso a uma pista de difícil e uma área fora de pista para especialistas.

As pistas destinadas aos principiantes são largas e quase exclusivas durante a semana, usadas basicamente por hóspedes do resort. É tanto espaço e quase ninguém à vista que você se sente o dono do "deserto branco". Aos fins de semana, o movimento pode ser maior, mas é difícil haver filas nos lifts. Aproveite esse fator e suba a encosta do Lonquimay quantas vezes quiser para curtir as paisagens e as descidas, com vento gelado batendo no rosto e a adrenalina gelando a barriga.

Cara de família. Talvez por estar numa região isolada, Corralco tem perfil mais família, com presença de casais e crianças - há uma creche no hotel onde os pais podem deixar os filhos com idade entre 2 a 6 anos durante parte do dia. Grupos mais jovens interessados exclusivamente em esquiar também vão à estação.

O centro de esqui espera receber nesta temporada, até 14 de outubro, 35 mil visitantes - 40% mais do que em 2013. O hotel está com cerca de 70% de reservas feitas até a primeira quinzena de outubro, boa parte por brasileiros. A hospedagem inclui o uso dos lifts. Equipamentos de esqui precisam ser alugados (de US$ 17 a US$ 44). Pacotes com aulas incluem o material básico (botas, bastões e esquis).

Há aulas de hora em hora, e os instrutores, simpáticos e solícitos, ajudam a criar a confiança necessária para começar a deslizar. Faz a diferença para iniciantes.

Extra:

Fora da temporada de neve, a Reserva Natural Malalcahuello-Nalcas vira palco de atividades como pesca esportiva, cavalgada, caminhadas e montanhismo. O ingresso ao parque custa 1 mil pesos chilenos (R$ 4). Mais em www.conaf.cl

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.