Divulgação
Divulgação

Destinos

Somados hospedagem, almoço e jantar, táxis e passeios, tudo para duas pessoas, Hanói, no Vietnã, é o lugar com a melhor relação custo-benefício entre os 40 destinos mais turísticos do mundo, de acordo com a TripIndex Cities, pesquisa que o TripAdvisor faz anualmente. Em três noites na capital vietnamita, a dupla gasta R$ 2.183,42.

Mônica Nóbrega, O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2015 | 00h00

O índice comparou os custos médios de junho a agosto, considerando três noites em hotel quatro-estrelas, visita a três atrações, um almoço (com refrigerante) e um jantar (com vinho) por dia, mais uma corrida de táxi (ida e volta).

Sorte dos viajantes que Hanói seja tão barata, porque motivos para visitar a cidade sobram. Escolha uma hospedagem no Old Quarter, o bairro antigo onde há quartos simples, mas razoáveis, desde US$ 35, e você estará perto das principais atrações, restaurantes, lojas e vida noturna. Para passeios, Hanói é ponto de partida para a Baía Ha Long, um símbolo do Vietnã e patrimônio da Unesco, e para Sapa, cidade que fica em uma encosta íngreme repleta de terraços de arroz. 

A lista de destinos baratos do TripIndex Cities tem 12 cidades. A seguir, os destaques.

BANGCOC

Na capital da Tailândia, o valor de três noites para duas pessoas é de R$ 2.452,29. A área de Ko Ratanakosin, ou Cidade Antiga, é ideal para ficar perto do Grande Palácio, antiga residência real. Os templos Wat Arun e Wat Pho, o do Buda Deitado, precisam fazer parte do roteiro. Comer é um grande prazer na Tailândia, e a capital é um lugar excelente para aproveitar a comida de rua. Pad thai, noodels e outras receitas estão por toda parte. Para passeios nos arredores, não perca o mercado flutuante Damonoen Saduak e o Templo do Tigre, administrado por monges e com dezenas de animais da espécie.

LISBOA

A situação econômica difícil já há alguns anos faz de Portugal um dos países mais baratos da Europa para turistas. A capital Lisboa tirou da crise a energia para viver um de seus momentos mais interessantes e criativos. 

O índice do TripAdvisor aponta para três noites por R$ 2.703,78, para duas pessoas. Mas é possível reduzir este valor e ainda passar bem. Para se hospedar, por exemplo: em Lisboa, a cultura do hostel prosperou admiravelmente. Todo ano, a capital portuguesa emplaca meia dúzia desses estabelecimentos no Hoscar, a seleção anual de melhores hostels do planeta feita pelo site referência Hostelworld.com. Pense em 30 euros por pessoa como tarifa básica. 

A área mais conveniente para se hospedar fica entre os bairros Chiado e Rossio. O Bairro Alto, referência na noite, está por perto. E, quanto aos passeios, tem Mosteiro dos Jerônimos, Torre de Belém, Parque das Nações, Oceanário e mais. Bons bate-voltas desde a capital portuguesa são Sintra e Cascais, ambas de trem.

BERLIM

Desde que tomou de Londres o título de cidade mais descolada da Europa, Berlim nunca mais perdeu a majestade. Os bons preços ajudam a atrair principalmente jovens. Em média, três noites, refeições e passeios custam R$ 2.775,70 para dois. O bairro de Prenzlauer Berg é o querido dos modernos, ótimo para caminhar entre lojas e restaurantes criativos. Kreuzberg é mais central, enclave de imigrantes, cultural e gastronomicamente variado. A rede de transportes é boa, o que amplia as possibilidades de hospedagem para além da Alexanderplatz. A famosa vida noturna da cidade é mesmo imperdível; encontre uma lista de clubes-ícones em berlinclubs.com.

ATENAS

A Acrópole reina no ponto mais alto de Atenas, e continua a inspirar sonhos viajantes, com ou sem crise econômica na Grécia. Este, aliás, é um bom momento para ir: está tudo mais vazio e com preços amigáveis. O TripIndex aponta uma média de R$ 2.860,83 por três noites para dois, mais refeições e passeios. Visitar Atenas é uma viagem à Antiguidade e às origens do mundo contemporâneo. Os monumentos se espalham: Partenon, Ágora Romana, Erecteion... O também histórico bairro de Plaka é um enclave de restaurantes, bares, vida cultural e noturna. Boemia é também o forte de Psiri, que, apesar de ter perdido alguns estabelecimentos para a crise, ainda concentra animação. 

LEIA MAIS: O que fazer quando a mala é extraviada

Mais conteúdo sobre:
crise econômica

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.