Detox na savana e outras mordomias

Quem imaginaria que o fim daquela estrada de terra daria em um resort cinco-estrelas? Mais uma surpresa sul-africana. Chegar ao Karkloof Safari Spa, localizado em uma reserva natural na região de Kwazulu Natal, leva 1h30 de carro, partindo do aeroporto de Durban. Os últimos 15 minutos são percorridos em uma estradinha que não dá pista da propriedade de 3,5 mil hectares que há no fim do caminho. A proposta do misto de safári e spa - "60% spa e 40% safári", segundo o gerente-geral Wayne Suttie - é uma só: relaxar.

DURBAN, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2014 | 02h08

"Aqui você não precisa marcar hora para nada", avisa o sommelier, que serve um belo pinotage a quem chega. Que tal começar o seu dia avistando dezenas de animais silvestres para depois receber uma bela massagem tailandesa, esfoliação corporal completa e terminar à beira da piscina? Você pode.

Ou começar pela piscina, almoçar a dois na privacidade do seu quarto e sair para o safári no fim da tarde? Também pode. Com tanta exclusividade, é fácil entender porque o Karkloof atrai visitantes ilustres como a família real de Monte Carlo.

Para acomodar os visitantes, há 16 pequenos apartamentos (chamados de vilas, projetados para duas pessoas), decorados à moda colonial. Cada um segue uma temática e ganha um nome - o meu era o "6, borboletas", o vizinho, "7, flores".

Todos possuem banheira de hidromassagem, cama king size, televisão de muitas polegadas e frigobar constantemente reposto (o vinho e o uísque estão incluídos no serviço).

De bolso. Se a vida selvagem é o que mais atrai, um aviso: o safári é pocket. Todo o percurso dura cerca de 1 hora. Segundo o gerente, é possível ver até 15 espécies de mamíferos, entre girafas, zebras, javalis e hipopótamos. A reprodução dos animais é controlada - a carne do impala servido no jantar foi caçada ali, explicou o guia. O tour na savana também vem com caprichos: no meio do percurso, o jipe estaciona e é servido um belo café da manhã ali mesmo.

No spa, a variedade de tratamentos é grande. Além dos faciais, como hidratação e esfoliação com essência de flores e frutas, há diversos tipos de massagens com focos específicos: antiestresse, anti-idade, desintoxicação... Cada sessão dura de 60 a 90 minutos. Tudo em salas individuais, com trilha musical relaxante e vista para a natureza.

Com tudo incluído - refeições, spa e safári -, a diária no Karkloof custa US$ 900 (R$ 2 mil). Detalhe: o check-out é às 20 horas. Reservas: karkloofsafarispa.com. / GABRIEL PINHEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.