Cesar Cuninghant/Estadão
Cesar Cuninghant/Estadão

Dia 4 - Degustação às cegas

Para sentir as nuances do vinho em sua plenitude

Cesar Cuninghant, O Estado de S.Paulo

06 Setembro 2016 | 00h01

Respiro fundo, recupero as forças e levanto a taça mais uma vez naquele dia. Aromática e frutada, uma brisa de verão na boca com amora. Sabor de madeira, defumado e baunilha. Degustação às cegas é realmente revelador. O paladar se abre e você consegue reconhecer as diferentes nuances do paladar, pequenos detalhes delicados que podem mudar sua percepção sobre beber vinho para sempre. 

Distante 11 km do centro de Bento Gonçalves, na região das cantinas históricas, a Dal Pizzol realiza a degustação às cegas por R$ 70 – agende antes de ir. Além de provar, é possível ter contato com a história da enocultura na região no Ecomuseu da Cultura do Vinho. Além disso, o parreiral Vinhedos do Mundo reúne mais de 400 variedades de uvas de 30 países, uma das três maiores coleções privadas de uvas no mundo. Aproveite ainda para conhecer a enoteca, instalada em um antigo forno de olaria. 

Caso ainda sobre fôlego, aproveite para dar uma passada na Salton, ali pertinho. A vinícola, que começou com a produção artesanal do italiano Antonio Domenico Salton ainda no século 19, se tornou uma das maiores do país. Quem visita a casa acompanha todo o processo de elaboração das bebidas e conhece as caves subterrâneas, que remetem às adegas de castelos medievais. É ali que você enfrentará mais uma bateria de degustação – aguente firme e aproveite. Há dois tipos de visita, a partir de R$ 20 (com R$ 10 de bônus na compra de bebidas). 

Mais conteúdo sobre:
Salton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.