Everton Oliveira|Estadão
Everton Oliveira|Estadão

Disney

Com dólar alto, conhecer o império do Mickey Mouse pede planejamento e estratégias para adaptar-se ao cenário financeiro atual

Everton Oliveira, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2015 | 04h59

ORLANDO - Com o dólar em alta, a tão sonhada viagem em família para a Disney precisa ser bem planejada. Para os marinheiros de primeira viagem, é bom saber que é possível economizar em média 25% fazendo uma boa pesquisa. Passagem aérea, hospedagem, aluguel de carro, compras e alimentação são os itens onde há a maior variação de preços.

Se para a maior parte destes itens a desvalorização do real é um grande problema, as passagens aéreas surgem como um ponto fora da curva, com promoções tentadoras. Por isso, siga as companhias nas redes sociais: é lá que elas vão anunciar primeiro suas promoções. Corra, pois o número de assentos é sempre limitado.

Passagem aérea garantida, a hospedagem é o próximo passo para mergulhar no mundo encantado de Walt Disney. Se o seu sonho é se hospedar em um dos resorts dentro do parque, algumas opções podem trazer um custo-benefício interessante. A categoria econômica tem diárias a partir de US$ 98 (sem impostos) para um casal e oferece quartos temáticos, banheira, ar condicionado e frigobar. Além disso, complexos com piscinas climatizadas, loja temática e restaurante. Fique atento: de 3 de janeiro a 6 de fevereiro é baixa temporada por lá e há muito mais ofertas.

Mas o que mais chama a atenção é a infraestrutura. A começar pelo traslado: o Disney Magical Express é um ônibus regular que transporta gratuitamente hóspedes dos hotéis Disney do e para o aeroporto de Orlando. Para deslocamentos internos também há monotrilho, com trajeto limitado, mas útil, e ônibus gratuitos circulando entre hotéis, parques (Magic Kingdom, Animal Kingdom, Hollywood Studios e Epcot) e Disney Springs, o centrinho de Walt Disney World Resort, com lojas, bares, restaurantes e shows. Assim, é possível economizar no aluguel do carro, na gasolina e no estacionamento dos parques.

O desafio da comida. A alimentação, sem dúvida, é um dos principais inimigos do bolso. Pensando em uma viagem de um casal com um filho, a média de gastos pode chegar a US$ 100 por dia. Os pacotes de alimentação oferecidos pelos parques e pelo hotel podem ser uma boa solução para quem quer ter o controle das despesas com a comida. Estipule um valor limite para a alimentação e consulte o preço dos pratos nos parques previamente, pelo celular ou nos mapas disponíveis na entrada.

Quem fica nos hotéis dentro da Disney recebe a MagicBand, pulseira colorida com um dispositivo integrado que conecta facilmente os visitantes a todas as opções de férias. Ela funciona como a chave do quarto, ingresso e um sistema opcional de pagamento, que pode ser usado na alimentação e nas compras em lojas dos parques Disney ou no hotel, bastando apenas um simples toque nas máquinas leitoras. As pulseiras são feitas de material flexível resistente e à prova d’água. Além disso, oferecem acesso ao FastPass, o fura-fila das atrações favoritas.

Mas fique atento: a facilidade pode levá-lo a gastar mais do que o previsto. Controle os gastos e mantenha-se fiel à média estipulada por dia.

Os hóspedes dos hotéis da Disney têm ainda tempo exclusivo nos parques Disney. É possível chegar uma hora antes da abertura programada ou permanecer no parque até três horas após seu fechamento. Cada local tem um dia especifico com as “horas mágicas”: cheque antes da visita.

Carro. Alugue carro somente para os dias necessários. Avalie: você precisa mesmo de um carrão? Algumas opções populares têm câmbio automático, ar condicionado, GPS, um bom porta-malas para as compras e diárias de US$ 20. Pode ser uma boa alugar apenas no primeiro e no último dia na cidade. Já explico o porquê.

Para o primeiro dia com carro, vale a pena visitar os grandes supermercados, assim você pode adquirir itens necessários para reforçar a alimentação da família, tais como água, refrigerante, frutas, bolachas, doces ou até mesmo um carrinho de bebê para seu filho poder descansar durante a maratona de diversão. Para se ter uma ideia, a água custa US$ 3 no parque. Com esse valor é possível comprar um pacote com 24 garrafinhas de água no Walmart. Há carrinhos de bebê a partir de US$ 20.

O último dia de aluguel do carro vale para as compras nos shoppings e outlets. Deixar as compras para o último dia é vantajoso, pois é possível saber exatamente quanto dinheiro você ainda tem para gastar. Se o jeito for usar o cartão de crédito, lembre-se que o valor da cotação é sempre no dia do fechamento da sua fatura.

Deixando a crise de lado, não economize na diversão. A melhor forma de aproveitar os parques da Disney é fazendo um roteiro específico para sua família. Dessa forma você consegue aproveitar o que tem de melhor em cada atração.

Casa alugada. Opção alternativa de hospedagem, as casas alugadas costumam valer a pena pela economia e conforto Nos últimos anos, com a grande presença de turistas brasileiros em Orlando, surgiram empresas focadas em atendimento e serviços em português, como a Temporada em Orlando, que tem 130 casas com diária a partir de US$ 125 para quatro pessoas. Sob demanda, a empresa organiza até roteiros dia a dia. A comunidade online de viajantes TripAdvisor.com.br/Rentals também tem aluguel de casas em português: para janeiro, as opções começam em US$ 120 a diária.

O QUE VEM POR AÍ

Epcot: ali ficará o reino encantado e frio de Arendelle, onde vivem Anna, Elsa e outros personagens de Frozen. O cenário e a trilha sonora serão ao estilo norueguês, país que inspirou o filme. Ainda no Epcot, aproveite para dar uma volta ao mundo no Soarin’ Around the World. O simulador foi reformulado e agora vai bem além das fronteiras californianas. 

 

Hollywood Studios: enquanto o parque temático de Guerra nas Estrelas não sai do papel, diversas atrações levarão o público para dentro do novo episódio da saga, O Despertar da Força. Shows de fogos de artifício inspirados na trilha sonora da franquia vão fechar as noites dos fins de semana. 

Disney Springs: é o novo nome da antiga Downtown Disney, destino de compras, restaurantes e entretenimento no parque. A mudança do nome vem acompanhada de crescimento: 150 estabelecimentos – hoje são 75 –, distribuídos por quatro áreas que serão concluídas em 2016.  

 

Animal Kingdom: a área dedicada a Avatar deve ficar pronta só em 2017. Enquanto isso, em 2016, estão previstas a inauguração do River of Light, um show de águas, luzes e música, e a ampliação do horário do Kilimanjaro Safaris. Com a nova saída a partir do pôr do sol, será possível observar outros animais no safári, como hienas e cães selvagens.

 

Mais conteúdo sobre:
Disney Walt Disney Hollywood Orlando

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.