Dúvidas sobre o chá das cinco

Nosso interminável viajante manda dizer que está na Turquia, tentando encontrar seu fiel encadernador de passaportes, que vivia em Aleppo, na Síria, mas, diante dos fatos, preferiu refugiar-se. Conta nosso correspondente que, assim que o localizar, pretende convidá-lo para montar uma oficina provisória no Condado de Essex. Da cidade de Adana, ele envia a correspondência da semana.

O Estado de S.Paulo

18 Setembro 2012 | 03h10

Mr. Miles, adoro sua coluna! Mas tenho uma questão: estive em Londres e procurei um autêntico five o'clock tea em algum restaurante. Ninguém soube me informar aonde ir! Será que o mundo está mudando tanto assim? Sério, me parece que na França o povo se empenha mais em manter tradições que são, inclusive, turísticas. São as coisas diferentes e únicas que tornam um lugar atraente. O que pensa? E onde achar um chá inglês na Inglaterra? Ainda existe? Beatriz del Picchia, por e-mail

"Well, my dear, sinto desapontá-la, mas o nosso chá das cinco continua tão tradicional e presente na vida inglesa como nos tempos em que eu o saboreava na companhia de Winston (N. da R.: Churchill, o estadista) ou Bertrand (N. da R.: Russel, o filósofo). Na verdade, darling, desde que Anna Maria Russel, a duquesa de Bedford, teve um rompante de brilho ao criá-la, em 1840, essa refeição tornou-se um símbolo de nosso país. A tal ponto que generais ingleses chegavam a retardar batalhas para, antes delas, desfrutar do chá e de seus acompanhamentos.

Conto-lhe a história da duquesa mais adiante, mas, só para você ter a slight idea de como sua avaliação me surpreende, nós, britânicos (e nossos sempre bem-vindos visitantes) consumimos 165 milhões de xícaras de chá a cada ano. Eu mesmo sou membro de uma instituição de grande respeito chamada UK Tea Council, que zela pela qualidade do chá que adquirimos e consumimos e, of course, pelo capricho e a dignidade com que é servido. Year after year, visitamos anonimamente 125 salões de chá em Londres para recolher dados que produzem o Tea Awards, uma espécie muito melhorada e muito mais glamourosa de prêmio que o Oscar.

O vencedor do Tea Award de 2012 foi o afternoon tea servido pelo The Athenaeum Hotel, em Mayfair. Mas a honraria é frequentemente distribuída a salões mitológicos como os do The Savoy, do Claridge's e do The Dorchester, só para mencionar alguns. Nos tempos da duquesa de Bedford, os jantares costumavam ser servidos depois das 20 horas nos palácios e castelos de nossa corte. Era comum que as pessoas tomassem um refresco ou comessem uma fruta à tarde, para massagear seus estômagos vazios. Well: Anna Russel decidiu pedir aos seus serviçais que lhe servissem, pontualmente às 5 da tarde, um bule de chá tipo Darjeeling, acompanhado de doces e sanduíches. Entre eles, o que mais a aprazia, my God, era um sanduíche de pepino. A duquesa adorou a própria criação e começou a convidar outras nobres mulheres para acompanhá-la no repasto. Therefore, em pouco tempo o hábito estava estabelecido. Nowadays, há algumas variações entre os doces, os sanduíches e até o tipo de chá servido em lugares públicos. Mas é muito incomum não encontrar o cucumber sandwich.

Ou seja, dear Beatriz: conservamos nossas tradições da melhor maneira possível. Sua referência aos franceses só pode ser uma provocação. Imagine só: um país que nem sequer conservou os seus práticos e amáveis Deux Chevaux (N. da R.: automóvel Citröen de dois cavalos de potência, hoje apenas utilizado em passeios vintage)?

Sugiro, pois, que, quando voltar a Londres, não procure por um five o'clock tea. Prefira a expressão afternoon tea, porque é assim que usamos."

É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO.

ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E

16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.