E as marcas de cristãos e mouros na arquitetura

Igrejas e palácios muçulmanos compõem roteiro turístico obrigatório

MÚRCIA, O Estado de S.Paulo

09 Março 2010 | 02h54

A arquitetura da cidade de Múrcia é um bom resumo da história da região, alvo de disputas sem trégua entre cristãos e mouros. Em alguns prédios, como o do Convento de Santa Clara, a mescla das culturas atinge o nível máximo. E é por lá mesmo que você deve começar a desvendar esse emocionante capítulo do passado.

Convento de Santa Clara

Até 1995 ninguém sabia de nada. Mas, uma vez abertas para escavação, as entranhas do convento mostraram um maravilhoso palácio muçulmano do século 8º. Salas de oração ricamente adornadas, um típico pátio mouro e até um espelho d"água saíram do esquecimento a que haviam sido relegados depois que os cristãos reassumiram o poder na região, quase 200 anos antes de tomar de volta todo o sul do país.

Os valiosos itens encontrados durante a escavação podem hoje ser vistos no Museo de Santa Clara, que funciona no prédio do convento. Ali ainda vivem freiras que fizeram votos de clausura e, por isso mesmo, as visitas precisam ser agendadas com antecedência. Mais informações no site: www.museosdemurcia.com.

Catedral de Múrcia

A movimentada Plaza Apóstoles abriga uma joia do barroco espanhol. A imensa catedral da cidade começou a ser construída em 1394 e - gabam-se os moradores - tem a torre mais alta do país, com incríveis 92 metros de altura. Tão impressionante quanto o tamanho da torre é a história do prédio. Ele foi totalmente erguido sobre uma antiga mesquita.

Prefeitura

É para lá que você deve ir se quiser ver os últimos vestígios das muralhas árabes que protegiam a cidade no passado. O trecho é um dos mais bonitos: fontes entre jardins lembram Alhambra, na vizinha Granada. Saiba mais na página: www.murciaturistica.es.

Santuário de la Fuensanta

No topo de uma montanha, a igreja é o destino certo dos peregrinos que buscam a bênção da padroeira da província, a Virgen de la Fuensanta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.