Carlinhos Müller/Estadão
Carlinhos Müller/Estadão

É hora de ir para o Egito?

Fontes oficiosas informaram a este caderno que mr. Miles foi visto na folia do Galo da Madrugada no Recife. Como não conseguimos contatá-lo nesses dias, é justo supor que a possibilidade existe. A seguir, a correspondência da semana:

Mr. Miles, O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2013 | 02h07

Caro mr. Miles.

I have a dream...

Este ano quero realizar meu sonho de ir ao Egito, em agosto. Será, em sua opinião, que a situação político-religiosa de hoje pode comprometer minha viagem ou para o turista não haverá transtornos? Um grande abraço. Maria Lúcia Paganelli, por e-mail

"Well, my dear: há certas coisas que a gente nunca sabe como vão acabar. Uma linda moça andando sozinha numa rua escura tem enormes chances de escapar ilesa, mas o contrário também pode suceder. O mesmo risco, I'm afraid to say, correm os viajantes que forem ao conturbado país dos faraós antes que a situação política se estabilize. Se eu estivesse em sua posição, however, jamais perderia 'a dream'. Iria, of course, evitar a Praça Tahrir, no Cairo, mas faria o resto da viagem com empolgação renovada. As you know, tenho muito prazer em ver a história acontecendo. E é justamente isso que os egípcios estão fazendo nesse momento de transição.

Besides, dear Lucy, viajar para o Egito é mesmo viajar para o melhor da história, surpreendendo-se, duna após duna ou a cada curva do Nilo, com as impressionantes habilidades desse povo que viveu 5 mil anos antes de nós. Volto a falar sobre o país onde meu velho amigo Howard Carter encontrou o sarcófago de Tutancâmon um pouco adiante.

Antes, é mister que eu lhe fale sobre o mês que você escolheu para viajar. Agosto é época de assar bolinhos nas calçadas em grande parte do Hemisfério Norte. No Egito, I'm sorry to say, a situação é ainda mais extrema. Na região de Luxor, onde você vai encontrar os mais valiosos vestígios do tempo dos faraós, a média das temperaturas máximas nesse mês é de 42 graus centígrados. Isso significa que, assim como há dias mais frescos cuja máxima chega a apenas 37 graus, haverá, for sure, outros nos quais os termômetros alcançarão os 47 graus. E é preciso que eu lhe avise que grande parte das ruínas só pode ser alcançada com pequenas caminhadas sob o sol ardente.

Veja o caso do Templo de Karnak, for instance, que é, entre tantas, a obra que mais me provoca arrepios e reverências. Trata-se, darling, de um templo em louvação ao deus Amon de dimensões impensáveis. Ele demorou 13 séculos para ser construído com uma área equivalente à das 13 maiores catedrais europeias somadas! Can you believe? Alguns desses pastores milionários de hoje vão se corroer de inveja ao ler este artigo.

Pois veja mais isto: a área é ocupada por uma floresta de 134 colunas de 23 metros de altura (quase um prédio de oito andares) sobre as quais apoiava-se um teto hoje inexistente. E ainda há mais: Karnak tem a célebre coluna de Hatshepsut (a única faraó do sexo feminino, que however, governou como homem. A coluna é uma peça única de granito rosa com 43 metros de altura (14 andares!) sem uma emenda sequer. Até hoje não se sabe como ela foi retirada da pedreira que fica a 120 quilômetros de distância e, muito menos, como foi erguida.

Eis que vou me entusiasmando tanto que já proponho que você esqueça o calor e dê de ombros aos distúrbios. Se você tem um sonho, e é um sonho fabuloso como esse, vá logo realizá-lo, my dear."

* É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO. ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E 16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

Mais conteúdo sobre:
Mr. Miles

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.