SXC.HU
SXC.HU

Em tempos de dólar alto, precaução não é demais

O dólar que não para de subir se tornou uma preocupação para quem vai viajar nos próximos meses. O câmbio em alta prejudica a compra de moeda e faz com que as viagens fiquem mais caras. E agora?

THIAGO MORENO , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

16 Julho 2013 | 02h10

As projeções dos economistas não seguem um padrão. Enquanto os otimistas acreditam na estabilização do câmbio, outros acham que a situação ainda pode piorar até o final do ano. O relatório Focus, pesquisa que reúne as opiniões de especialistas do mercado, aponta o dólar custando R$ 2,20 no fim de 2013, mais baixo do que os atuais R$ 2,26. Já o administrador de investimentos Fábio Colombo não vê uma redução se aproximando e sugere uma postura mais conservadora.

Diante desse panorama incerto, confira algumas dicas para não perder dinheiro:

Como se proteger da alta?

A operadora de viagens CVC indica que o melhor é planejar a viagem ao exterior com pelo menos seis meses ou mais de antecedência e comprar os dólares aos poucos para se prevenir de eventuais picos de alta no preço da moeda.

Já Colombo aponta duas alternativas. Para os mais ortodoxos, a dica é comprar tudo agora e evitar problemas com uma alta ainda maior no futuro. Adiar a aquisição dos dólares da viagem só é recomendado para quem não tem receio de se arriscar.

O economista especialista em finanças pessoais Marcos Silvestre sugere levar também um cartão pré-pago. Além de o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) ser menor do que o do cartão de crédito (0,38% contra 6,38%), quem viaja tem a chance de recarregar o saldo com câmbio estável e driblar as futuras flutuações da moeda estrangeira.

Agências de viagem podem repassar os custos da variação cambial para o cliente?

O melhor é conferir na hora de fechar o pacote, mas a maioria delas tem proteção contra as turbulências do câmbio.

Vale a pena adiar a viagem?

A longo prazo, não há expectativa de uma melhora cambial significativa. Portanto, deixar para viajar no ano que vem pode ser um tiro no pé. A previsão de mercado para o dólar no final de 2014 mantém o câmbio estável em R$ 2,20. Marcos Silvestre dá a dica: se você já preparou a viagem, bom mesmo é embarcar logo.

É melhor trocar o destino?

Viajar é uma questão de gosto, mas, se existe a possibilidade de escolher algum lugar que não use o dólar, essa é uma alternativa para economizar.

Continua valendo a pena fazer compras no exterior?

Com o encarecimento do dólar, o ideal é fazer uma pesquisa antes de sair comprando. Mesmo que o preço seja menor, é importante comparar custos e benefícios já que, no Brasil, o comprador tem direito a nota fiscal, parcelamento e garantia. Silvestre diz que a compra no exterior só vale se o produto for 30% mais barato do que aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.