Emoções em alta ao som do fado

Se tudo correr bem, você deve soltar algumas lagriminhas logo no primeiro fado ao vivo. A não ser que você seja realmente duro na queda, é impossível não se emocionar com a melancolia das canções, sempre interpretadas com os nervos desnudados dos portugueses. Em Lisboa, ir ao fado é tão necessário quanto a qualquer outro endereço histórico. É verdade que não há apenas fados de lamento - mas a guitarra portuguesa e o jeito de cantar dos fadistas caem muito melhor quando o tema é a desilusão e a saudade.

O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2013 | 02h08

O bairro da Alfama concentra restaurantes com fado ao vivo. Mas o melhor que vi foi o Fado Vadio, na Tasca do Chico, no badalado Bairro Alto (Rua do Diário de Notícias, 39). Sempre às quartas-feiras, é como uma roda de samba dos bambas do fado. A cada 10 minutos, a luz se apaga e o bar interrompe o serviço a favor da música. Em completo silêncio, gente apaixonada pelo ritmo se reveza no vocal.

É bom chegar cedo se quiser sentar. Na quarta que estive por lá, até Mariza - uma das maiores cantora de fado da atualidade - estava em uma das mesas, bebendo vinho e curtindo a música. Pena não ter dado uma canja. /P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.