Encantos de um novo patrimônio

Descubra por que a Praça São Francisco, em Sergipe, passou a integrar a cobiçada [br]lista da Unesco

O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2010 | 02h18

Basta o visitante pisar na Praça São Francisco para ouvir: "Aqui se respira história." Não poderia haver definição melhor - agora, endossada pela Unesco. O principal ponto turístico de São Cristóvão, em Sergipe, virou Patrimônio da Humanidade. E está muito bem acompanhado de outros 20 novos patrimônios culturais, naturais e mistos do mundo inteiro, eleitos na semana passada.

Para conhecer o 18.º patrimônio brasileiro é só percorrer 17 quilômetros desde Aracaju. É na Praça São Francisco que começa a visita pela primeira capital de Sergipe e quarta cidade mais antiga do Brasil, fundada em 1590. A arquitetura do início do século 17 impressiona pela riqueza de detalhes e boa conservação.

Coloque um bom par de tênis e comece a explorar o sossego de São Cristóvão. Na praça estão a Igreja Nossa Senhora da Visitação e o Convento de São Francisco, que abriga o Museu de Arte Sacra. Fundado em 1974, é considerado um dos mais importantes do mundo, com 500 peças dos séculos 17 ao 20.

O passeio inclui a Praça Matriz, onde está a Igreja Nossa Senhora da Vitória, de 1608, e o Museu Histórico de Sergipe, no antigo Palácio do Governo. O Convento das Carmelitas merece visita. Só lá você encontra os crocantes e deliciosos briceletes, biscoitos à base de farinha, leite, ovos, açúcar e raspas de limão e de laranja. A receita é preparada desde o século 16.

Pelo mundo. Dos novos eleitos da Unesco, três países entraram pela primeira vez na lista. Kiribati, na Micronésia, emplacou a área de proteção das Ilhas Phoenix. Os outros dois estreantes trouxeram patrimônios culturais: Ilhas Marshall, com o Atol de Bikini (área de testes nucleares), e Tajiquistão, com as ruínas da cidade histórica de Sarazm.

A boa notícia veio por conta da retirada das Ilhas Galápagos, no Equador, dos patrimônios em risco. Outros quatro, no entanto, passaram a integrar a lista: Catedral Bagrati e Monastério Gelati, na Geórgia; Floresta de Atsinanana, em Madagáscar; Tumbas dos reis Buganda, em Uganda; e o Parque Nacional de Everglades, nos EUA. Veja a lista completa em: whc.unesco.org.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.