Escolha feita por lance

Além das opções de hospedagem apresentadas, há outras que saem por menos de US$ 150 em Manhattan, incluindo albergues e ocasionais pechinchas no aluguel de apartamentos no Airbnb.com. Mas, se você quer algo mais luxuoso, os sites Priceline e Hotwire são bons lugares para começar.

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2012 | 03h10

No Priceline, você pode dar lances em quartos, especificando bairros e níveis de qualidade. Mas ele o força a fechar negócio antes de descobrir o hotel onde vai passar a noite. O Hotwire tem o mesmo esquema, mas dá o preço da hospedagem misteriosa antes de pedir o seu lance.

Eu uso os dois sites juntos, checando o melhor lance no Hotwire antes de oferecer um pouco menos no Priceline; se minha oferta falha, eu volto e fico com o quarto no Hotwire. O sistema me reservou um hotel quatro estrelas em TriBeCa, disponível no Hotwire por US$ 108 (ou US$ 139 com taxas e impostos) e pelo qual eu ofereci US$ 102 (ou US$ 131, no total) no Priceline.

Meu lance foi aceito e logo fui para um quarto no Sheraton Tribeca (foto), na 370 Canal St., por US$ 100 a menos do que conseguiria no site do hotel. Já que Priceline e Hotwire ofereceram uma pechincha no mesmo bairro, suspeitei que ambos tentavam me mandar para o mesmo Sheraton. (A hospedagem era para domingo; em outros dias, os sites podem pedir que você reduza a qualidade do local para conseguir uma tarifa similar.)

O Sheraton Tribeca não tem nada demais para um viajante a negócios, mas, para um turista econômico, os luxuosos travesseiros e as TVs de tela plana eram impressionantes. Porém, eu não tomaria por hábito me hospedar nesse tipo de lugar. Redes hoteleiras quase sempre parecem genéricas e no Sheraton Tribeca o mini Starbucks e os grandes anúncios de Coca Cola Diet me deixaram enjoado. Eu abriria mão dos travesseiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.