Eventos ao ar livre movimentam a Europa

Festivais de cultura celebram o verão em diversas cidades do Velho Continente

THAIS CARAMICO , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2013 | 02h12

A temporada de programas ao ar livre é o melhor jeito de curtir o verão europeu. Confira as atrações da estação:

Berlim. O reduto artístico de Berlim, Neukölln, fará jus à fama entre os dias 14 e 16 de junho, quando acontece o maior festival da cidade, as 48 Horas de Neukölln, com performances e exposições. Atenção para o número: são pelo menos 600 eventos simultâneos no bairro, gratuitos e divertidos. O tema deste ano será "Mudando Perspectivas", ou seja, muita experimentação a cada esquina. Para os apetites mais clássicos, entre 4 e 8 de julho ocorre o Classic Open Air (classicopenair.de/en), no Gendarmenmarkt.

Londres. Na capital inglesa, vale ficar de olho na programação do Southbank Centre, para a família toda. Já os festivais de música merecem mochila nas costas e uma boa dose de energia. Considere um pulo na Ilha de Wight (isleofwightfestival.com), a uma hora e meia de trem de Londres e um passeio de balsa, para visitar o santuário das estrelas do rock. A festa vai de 13 a 16 de junho. Na cidade de Kent, a menos de uma hora da capital, há o Hop Farm Festival (hopfarmfestival.com), que este ano traz Bob Dylan e Patti Smith, entre outras feras, de 5 a 7 de julho.

Amsterdã. O verão na capital holandesa não é só de passeios de bicicleta pelas ruas estreitas e de barco pelos canais. Em 20 de julho, Amsterdã vira o centro da música eletrônica na Europa, com festivais ao ar livre para milhares de pessoas. Há duas opções: o Electronic Family (electronicfamily.nl) leva ao sul da cidade o melhor do trance, enquanto o Buiten Westen (buitenwesten.am) balança o Westerpark com electro e house. Quem curte ocupações e cultura alternativa pode se preparar para quatro dias em Ruigoord, a menos de uma hora de trem de Amsterdã. A pequena vila, nas mãos de artistas há 40 anos, celebra o Landjuweel Festival (cn20101172.p-client.net/), com teatro, poesia, performances... Coloque na agenda: de 24 a 28 de julho.

Paris. Pé no pedal e força para subir a Champs-Elysées até o Arco do Triunfo. Entre 15 e 16 de junho, Paris se entrega às bicicletas nas 24 horas de Velib (o sistema local de aluguel de bikes). Você terá direito a alugar uma de graça e passear à vontade. No dia 21, as ruas serão tomadas pela 32.ª edição da Fête de la Musique, quando há uma série de apresentações ao ar livre. E entre 20 de julho e 18 de agosto, Paris ganha uma praia, a já tradicional Paris Plage, que desde 2002 transforma as margens do Sena com áreas para vôlei de praia, brincadeiras para crianças e outras atrações.

Lisboa. As Festas de Lisboa reúnem o que há de melhor na cultura local. Em vários pontos da cidade, junho é o mês da alegria, incluindo concertos, exposições, apresentações de teatro e arraiais como se vê no Brasil. O ponto alto? O dia de Santo Antônio, celebrado em 13 de junho. Imperdível também é o festival Meo Out Jazz, que toma conta da cidade entre maio e setembro, sempre de sexta-feira à domingo.

Tromsø. Em Tromsø, no norte da Noruega, competidores de mais de 50 países disputam uma das provas mais exóticas do planeta: a "Maratona da Meia-Noite", em 22 de junho. Para respirar essa brisa do Ártico é preciso registrar-se no site da prova (msm.no/). O programa faz parte das Noites Brancas dos países nórdicos. Assim como na Noruega, a noite não escurece na Dinamarca, Suécia e Rússia durante o verão. O sol da meia-noite é motivo de celebração e as maratonas da madrugada são programas comuns nesses destinos.

Estocolmo. A música é o tema de nove dos 13 festivais ao ar livre. Dia 1.º de junho acontece o eletrônico DandDakar, seguido pelo NEW! Hultsfredsfestivalen - de 13 a 15 -, voltado ao pop rock. Entre 30 de julho e 3 de agosto é a vez de a parada gay tomar conta da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.