Fonemas desafiadores no idioma local No cemitério de Mirogj, uma galeria ao ar livre

Damjan, nosso guia em Zagreb, sentenciou: o croata é fácil, basta ler o que está escrito. "Pronunciamos tudo." Ok, só faltou dizer que se trata de uma língua eslava do sul. O "c", por exemplo, não tem o som de "c". Sem acento, é "ts". Com circunflexo ao contrário é um "tch" mais forte. Com acento agudo, "tch" mais fraco. O "h" parece um "rr" aspirado. Daí o hrrrr-va-tsca, que é como se diz Croácia por lá. E o "j" de Damjan tem som de "i". Quis aprender o básico: olá (bog), por favor (molim), com licença (oprostite). Já o obrigada (hvala) tem o agá inicial puxado. Disse um "thank you" e fui bem aceita. Ou seja: o inglês é corrente. Dá para se virar assim e com o tempo você decora o que não é obrigado a decorar, mas que vira diversão na viagem: kupaonica é banheiro. Tgr é rua. Mas não me peça para pronunciar. /M.M.

O Estado de S.Paulo

14 Agosto 2012 | 03h11

Mirogoj vem de Miroslav Herkul Mirogojski. Ele foi um dos proprietários desta farta terra que, em novembro de 1876, abrigou seu primeiro hóspede: o instrutor de ginástica Miroslav Singer. Nesse mesmo mês e ano, a área receberia ainda seu estatuto de joint cemetery. Ali, católicos, ortodoxos, judeus e protestantes teriam espaço garantido e rituais fúnebres respeitados. Teriam e têm, com leve prevalência agrária dos católicos, que são maioria entre os croatas.

Não bastasse ser ecumênico, Mirogoj é uma galeria a céu aberto. O arquiteto alemão Herman Bollé, também enterrado ali, bolou suas arcadas monumentais, seus pavilhões e seus domos neorrenascentistas, dando ares de panteão ao lugar. Renomados escultores levantaram monumentos grandiosos a artistas, políticos e esportistas importantes do país, como o primeiro presidente da Croácia independente, Dr. Franjo Tudman, o poeta Tin Ujevic e a lenda do basquete Drazen Petrovic, que morreu num acidente de carro aos 28 anos. De recente, destaca-se o monumento cinza Wall of Pain (Muro da Dor), erguido em outubro de 2004, no qual estão inscritos nomes de 13.500 vítimas da guerra contra os sérvios. No folder disponível no site do Turismo de Zagreb (zagreb-touristinfo.hr/brosura/mirogoj_engleski.pdf) há a história de algum desses personagens.

Mirogoj, ele mesmo inscrito na lista dos cemitérios mais bonitos da Europa, fica a uma caminhada de meia hora a partir do centro de Zagreb, por ruas arborizadas. Ou, se não estiver muito disposto, a 15 minutos da catedral da cidade, com o ônibus 106. /M.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.