HBO
HBO

Fora de série: conheça as locações dos sucessos do momento

Game of Thrones, Master of None, Ozark, Stranger Things: que tal sair do sofá para percorrer esses cenários?

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 04h55

Você é daqueles que troca qualquer passeio de fim de semana por uma tarde no sofá de casa, assistindo séries e comendo pipoca? Que tal então unir o útil ao agradável, e planejar sua próxima viagem para cenários de sua série favorita? Da novíssima Ozark à viciante Game of Thrones, selecionamos aqui os principais cenários para que você consiga se sentir dentro das tramas mudo afora.

Além de visitar locações, nas cidades de Nova York e Los Angeles, nos Estados Unidos, também é possível conseguir tíquetes para assistir de perto as gravações de séries e shows. Sites como tvtickets.com e 1iota.com reúnem diversas opções (incluindo sucessos da Netflix). Logicamente, quanto mais popular a série, mais concorrido vai ser o ingresso. Os tíquetes costumam ser colocados à disposição com um mês de antecedência.

Outra dica: insista. Mesmo que o show desejado esteja esgotado, há desistências. Algumas vezes, são colocados novos ingressos à disposição em cima da hora. Fique de olho: você pode tirar a sorte grande. 

Em Los Angeles, vale ainda dar um pulo nos estúdios da Warner para visitar cenários de clássicos como Friends (você pode sentar no sofá do Central Perk), Gilmore Girls, The Big Bang Theory. O guia pergunta para os participantes do tour as séries favoritas de cada um para priorizar esses locais. A partir de US$ 65.

 

Hóspedes se transformam em Masterchefs em cruzeiros turísticos

Sempre quis participar do programa de culinária da TV MasterChef? Agora dá: a MSC vai promover competições entre hóspedes nos navios que chegam ao Brasil nesta temporada. Os chefs em potencial receberão uma caixa com ingredientes surpresa. Os vencedores podem ganhar um jantar na casa de um dos participantes do programa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 04h50

Atenção: alerta de spoiler da sétima temporada de Game of Thrones. Se for o caso, pare agora. 

O terceiro episódio, no último domingo, mostrou enfim o aguardado encontro de gelo e fogo - e o fato de ele ter acontecido na Ilha de Dragonstone , na entrada da Baía de Blackwater já chegando a Westeros, torna este o principal cenário da sétima temporada. O belo castelo dos antepassados de Daenerys Targaryen, infelizmente, é todo feito por criação gráfica.

Mas a praia onde a própria Daenerys e Jon Snow desembarcam posteriormente existe e fica na Irlanda do Norte, na localidade de Downhill Strand, 1h30 ao norte da capital, Belfast. Além dos dramáticos rochedos à beira-mar que foram vistos nos três episódios mais recentes, a praia de Downhill tem 11 km de faixa de areia, boas ondas para o surfe e trilhas.

Também na Irlanda do Norte, coloque em seu roteiro a estrada de Dark Hedges - ou seria King’s Road? -, em Ballymoney. 

Na atual sétima temporada, a Espanha foi a escolhida para abrigar novos cenários de Westeros - País Basco, Andaluzia e Extremadura. Segundo o site de reserva de hospedagem Hoteis.com, a busca por Sevilha aumentou 85% desde que o Real Alcázar virou, na ficção, o Water Palace de Sunspear, em Dorne.

Sabe-se que a cidade de Cáceres, na Espanha, teve cenas gravadas em pontos como Plaza de San Jorge e Arco de La Estrella, na Cidade Antiga. 

Infelizmente, a Janela Azul de Malta, onde os personagens Daenerys Targaryen e Khal Drogo se casaram, desabou em março deste ano. Já a rainha Cersei Lannister continua sua trajetória de maldades em Dubrovnik - ou melhor, em King’s Landing. A cidade croata brilhou mais uma vez com o desfile de Ellaria Sand e sua filha, feitas prisioneiras por Euron Greyjoy. O frisson em torno de GoT e Dubrovnik é tão grande que a prefeitura local já cogita mudar regras de visitação. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 04h50

A série da Netflix que estreou dia 21 tem como cenário a região montanhosa conhecida como The Ozarks, entre os Estados norte-americanos de Missouri e Arkansas. “Eu nunca havia visitado essa região, mas é um destino de viagem bem conhecido dos americanos”, explica o produtor de locações da série, Patrick Rofoli, em entrevista ao Estado

Gravada ao longo de 14 meses, a série conta a saga do consultor financeiro Marty Bryrde (Jason Bateman), que lava dinheiro para um dos maiores cartéis de drogas do México. Ao se ver ameaçado, ele decide tirar a família de Chicago e se mudar para a pequena Ozark, no Missouri. O drama tem uma tensão à la Breaking Bad e vem recebendo boas críticas. 

Rofoli explica que não teve muito tempo para curtir as principais atrações por causa da rotina de filmagem, mas elogiou a cidade (“muito graciosa”) e destacou alguns pontos cruciais. Embora o nome da cidadezinha esteja no título da produção, a maior parte das filmagens não foram feitas ali, mas na Georgia. 

Ainda assim, segundo Rofoli, o local mais importante para um fã visitar em Ozark é Bagnell Dam Strip, uma locação central da série. A área histórica, construída entre 1929 e 1931, remete à criação do próprio Lake Ozark, um lago artificial de 55 mil acres. Bagnell Damm conta com alguns bares, lojas e, vez ou outra, abriga festivais e eventos. Mas o maior destaque é mesmo a vista.

Melhor mesmo é investir em uma road trip pela região. Explore as atividades aquáticas ao redor do lago e, depois, corra para as colinas. Isso porque as paisagens mais bonitas ficam depois da divisa com o Arkansas, em áreas montanhosas como Ozarks National Forests, onde é possível fazer trilhas, andar a cavalo, acampar, pescar. 

Na Georgia, Rofoli destaca os lagos Lanier e Allatoona, que foram usados nas locações – e, segundo Rofoli adiantou, voltarão a aparecer na segunda temporada. Assim como o Lake Ozark, o Lanier é um lago artificial, perfeito para a prática de esportes aquáticos. Já o Allatoona é bastante procurado para camping.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 04h50

Não é de hoje que a Georgia virou queridinha das produções de TV por causa de seus incentivos fiscais (vá ao site bit.ly/seriegeorgia para descobrir diversos pontos de gravação no Estado). Stranger Things também surfou nessa onda, e boa parte das filmagens foi realizada em cidadezinhas próximas a Atlanta.

O centrinho da pequena Jackson se transformou em Hawkins com a ajuda da produção e muitos baldes de tinta. O sinistro exterior dos Laboratórios de Hawkins, onde são realizados experimentos com Eleven, são, na verdade, o Briarcliff Campus da Univerdade Emory de Atlanta (prédio B, 1.256 Briarcliff Road NE). 

O bosque onde ocorrem diversas cenas assustadoras (incluindo o sumiço de Will e Barb) é bem convidativo na vida real: trata-se do Georgia International Horse Park, onde ocorrem competições equestres e passeios como trilha a cavalo ou mountain bike. Também foram gravadas cenas do bosque no Stone Mountain Park, uma área repleta de atrativos familiares como bondinho panorâmico, fazendinha, passeio de trem, entre outros. 

A pedreira onde o suposto corpo de Will é encontrado (e onde Eleven salva seus amigos do bullying de valentões da escola) chama-se Bellwood Quarry e, no momento, está fechada para visitação. Há um projeto, no entanto, para transformar a área em parque aberto ao público, e as discussões estão avançadas. Pode haver novidades em breve – não antes da estreia da segunda temporada da série, em outubro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2017 | 04h50

A série Master of None da Netflix, uma comédia sobre a geração nascida nos anos 1980, é quase um roteiro gastronômico. Não só de Nova York, onde se concentra a trama, mas até em Modena, na Itália, onde começa a segunda temporada.

O personagem central, Dev (Aziz Ansari), é um ator descendente de indianos que adora comer. Em todos os episódios há pausas para lanches, drinques, jantares – e muitas recomendações do site Yelp, que Dev adora consultar. Em um dos episódios, ele e Arnold (Eric Wareheim) passam horas buscando os melhores tacos de Nova York – mas demoram tanto que a comida tinha acabado quando chegaram ao food truck. Anote aí: trata-se dos Tacos Morelos, que tem sede própria e alguns carrinhos pela cidade.

São tantos os restaurantes citados e retratados que o site Thrillist.com compilou todos os lugares onde os personagens comeram nas temporadas 1 e 2 . Entre os destaques, está o Shun Lee Palace, em Nova York, onde Dev e seu amigo Brian (Kelvin Yu) levam os pais para jantar. “Traga a louça para clientes chineses”, pede o pai de Brian ao garçom. 

Na sorveteria Morgenstern’s, um homem corta a frente de Dev e pega a última banana split especial do dia – o tal homem é marido do novo caso amoroso de Dev. Sem falar no Bamonte’s (32 Wihers St., Brooklyn), italiano tão desejado pela avó de Rachel (Noel Wells) que vale até uma fuga do asilo.

A segunda temporada começa com Dev fazendo um curso para aprender a fazer massa em Modena, na Itália (um programa oferecido por várias agências de intercâmbio). A Hosteria Giusti, onde ele comemora o aniversário, abre apenas para o almoço de terça a sábado, e só com reservas. Dev leva Arnold para descobrir os sabores do Mercato Albinelli. Por fim, a dupla se refestela em um jantar no três-estrelas Michelin Osteria Francescana, que conta com apenas 12 mesas – os pratos a la carte começam em 60 euros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.