Fuja de lá como o diabo da cruz

Das ruas do Recife a um castelo na Romênia de Drácula, seis lugares para você passar longe nesta sexta-feira 13

Mônica Cardoso, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2010 | 02h17

Decoração macabra. Paredes forradas com crânios e ossos nas catacumbas de Paris

Sexta-feira 13 já é de meter medo. Quando ela cai em agosto (o tal mês do desgosto), então, melhor redobrar a atenção. Anote alguns lugares para você não estar nesta data sinistra. Afinal, quem avisa amigo é.

Cruz do Patrão, Brasil

São muitos causos de fantasmas na capital pernambucana. Mas a Cruz do Patrão se destaca. No século 17, os holandeses ergueram uma cruz para orientar os navios que atracavam no porto. Sem saber o que fazer com os escravos que morriam no Atlântico, eles eram enterrados ali mesmo. Dizem que os fantasmas dos negros perambulam por ali...

Les Catacombes, França

Paredes forradas por crânios e ossos empilhados. Os corredores estreitos e mal iluminados parecem não ter fim. O ar é congelante e o silêncio, macabro. A apenas 30 metros abaixo de Paris, descendo mais de uma centena de degraus, se chega às catacumbas. O local foi construído no século 18, depois que o Cemitério dos Inocentes se tornou problema de saúde pública. Ele abriga restos mortais de 6 milhões de parisienses. Hoje, é um museu - entrada a 8 (R$ 18); catacombes-de-paris.fr.

Castelo Glamis, Escócia

Vários crimes deram ao Glamis, em Angus, a fama de castelo mais assombrado do país. No século 11, o Conde Malcolm foi assassinado ali, o que inspirou Shakespeare a usá-lo como cenário de Macbeth. Cinco séculos depois, lady Janet Douglas foi queimada por tentar envenenar o Rei James V. Seu fantasma, dizem, ronda a capela - tem até assento reservado. O local teria ainda um monstro. Ele seria Thomas Bowes-Lyon, filho de lorde George, que nasceu deformado em 1821. Por quase cem anos, Thomas viveu confinado em um dos quartos. Visita: 8,75 libras (R$ 24); glamis-castle.co.uk.

Whitechapel, Inglaterra

A passos rápidos, um grupo percorre becos e vielas de Whitechapel, na enevoada noite londrina, seguindo o rastro do temido serial killer Jack, o Estripador. Visitam os locais dos assassinatos enquanto o guia descreve os detalhes mais sangrentos dos crimes. A tentativa dos visitantes é montar esse truncado quebra-cabeças, que continua até hoje sem solução. Custa 8 libras (R$ 22). Site: jack-the-ripper-walk.co.uk.

Bran Castle, Romênia

Passagens subterrâneas ligam dezenas de salas repletas de móveis antigos e armaduras. No século 15, o castelo, em Brason, foi morada do Conde Vlad Tepes, famoso pelos métodos sádicos usados para matar seus inimigos, como o empalamento. As maldades inspiraram o escritor irlandês Bram Stoker a escrever Drácula. Pelo sim, pelo não, o lugar fecha às 16 horas, para que os visitantes partam antes de o sol se pôr. Entrada: 12 leus (R$ 6,50). Site: brancastlemuseum.ro.

Salém, EUA

A cidade de Salém, em Massachusetts, Estados Unidos, viveu uma caça às bruxas em 1692. Mais de 150 moradores foram presos sob suspeita de feitiçaria e 19 pessoas condenadas à forca. Hoje, é ponto de peregrinação de turistas e seguidores dos rituais Wicca nas festas de Halloween. No roteiro, o Salem Witch Museum, onde o visitante acompanha uma narrativa do julgamento das bruxas. Entrada: US$ 8,50 (R$15). Site: salemwitchmuseum.com.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.