Fura-filas de pedágio: agora dá para escolher

Fura-filas de pedágio: agora dá para escolher

O primeiro semestre de 2013 trouxe novidade para quem costuma pegar a estrada no Estado de São Paulo: o pagamento eletrônico dos pedágios, desde 2000 operado exclusivamente pela rede Sem Parar, agora é oferecido por mais duas empresas. A Conectcar começou a atuar há três semanas, em 23 de abril. Antes dela, em fevereiro, a Auto Expresso chegou ao mercado.

MÔNICA NOBREGA, O Estado de S.Paulo

14 Maio 2013 | 02h09

Em outras palavras, o chip em formato de tag que o motorista cola no para-brisa para passar direto pelas cabines de pedágio - e escapar da fila - agora é vendido por outros fornecedores. Com preços e esquemas de pagamento variados.

Comprar a primeira tag, por exemplo. A Conectcar cobra entre R$ 20 e R$ 30 e a Auto Expresso, R$ 30. Na Sem Parar, custa R$ 69,56 no pacote clássico, em que a mensalidade é de R$ 12,40, debitados na conta corrente ou no cartão de crédito. Sem taxa de adesão, a mensalidade sobe para R$ 16,43.

Um sinal de que a concorrência já beneficia o consumidor: na sexta-feira, o site da Sem Parar anunciava um desconto de 40% no valor da adesão no plano pós-pago clássico - estava saindo por R$ 41,74. No pacote sem taxa de adesão, mas com mensalidade mais alta, novos clientes ganhavam ingressos de cinema. A Sem Parar tem 3,9 milhões dos pouco mais de 4 milhões de clientes de pagamentos eletrônicos de pedágio no País.

Antes ou depois. A Conectcar atua com sistema pré-pago - é preciso ir até um posto da marca Ipiranga para colocar créditos (que expiram depois de 120 dias da recarga) na tag. E ficar de olho no saldo, sob pena de a cancela não abrir.

No caso das tags pré-pagas da Auto Expresso, a recarga é automática quando o saldo atinge um valor mínimo, programada para ser debitada na conta-corrente ou cartão de crédito - o que significa que não há a escolha de não recarregar o chip. Créditos não expiram. A empresa vende também tags pós-pagas, com mensalidade de R$ 6.

A Sem Parar tem opção de plano pré-pago para chips que funcionam apenas em rodovias paulistas.

Mais conteúdo sobre:
Viagem pedágio Sem Parar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.