História e agito além dos campi

Prédios seculares e bares e cafés sempre lotados atraem não só estudantes, mas também os turistas

Natália Zonta, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2009 | 02h53

Prédios históricos com gente jovem circulando. Nas ruas, bares e cafés lotados. Tal rotina é comum nas cidades universitárias. Europa e Estados Unidos concentram as faculdades mais tradicionais, com campi gigantescos, que ditam o ritmo das cidades. Conheça os atrativos locais - você vai até ter vontade de voltar à sala de aula.

 

Cambridge: para comemorar seus 800 anos, instituição preparou programação com música e teatro

 

Cambridge, Inglaterra

Os prédios da Universidade de Cambridge (www.cam.ac.uk) moldam os cenários da cidade homônima. Neste ano, a instituição comemora 800 anos e, até dezembro, há programação intensa, com apresentações de teatro, dança e música. No câmpus, visite a King's College Chapel, em estilo gótico, e o Fitzwilliam Museum, com acervo rico em arte medieval. Fora dos gramados da faculdade, atrações menos didáticas. Cambridge tem pubs - no site oficial da cidade há 89 -, clubes noturnos e ruas comerciais cheias de lojas da moda. Inclua as feiras livres em seu roteiro - a mais turística é a Cambridge Arts and Crafts, com artesanato, antiguidades e joias. Aos sábados, das 9h30 às 17 horas, no Fisher Hall. Informações: www.visitcambridge.org.

Salamanca, Espanha

Uma cidade dourada com muitas igrejas, praças e, é claro, estudantes. São 40 mil na Universidade de Salamanca, a primeira da Espanha, criada em 1218 por Alfonso IX, rei de León. Suas construções lhe renderam o título de Patrimônio da Humanidade da Unesco. Comece o passeio pela Plaza Mayor, no centro histórico, e desbrave as ruas ao seu redor. O comércio se concentra na Toro e na Zamora. A partir delas, perca-se pelas ruelas até chegar à antiga muralha da cidade. Site: www.spain.info.

Pisa, Itália

Poucos sabem, mas há séculos os estudantes - e não os turistas enlouquecidos pela torre inclinada - comandam Pisa. Em 1343, a universidade local foi inaugurada e tornou-se uma das mais importantes da Itália. Até o cientista Galileu Galilei (1564-1642) estudou ali. O sucesso no mundo acadêmico segue até hoje e cafés e bares tradicionais continuam a atrair o público jovem. O agito se concentra na Rua Lungarno Antonio Pacinotti, onde fica a faculdade. No número 27 está o Caffé dell?Ussero (www.caffedellussero.it), aberto em 1794. O ambiente é simples, mas o prédio, um luxo. No roteiro básico, visite a Torre de Pisa, o Domo, o Batistério e o Camposanto, todos no Campo di Miracoli (www.opapisa.it).

Coimbra, Portugal

A história da língua portuguesa passou pela Universidade de Coimbra, a primeira de Portugal, criada em 1290. Eça de Queiroz (1845-1900) e Luís Vaz de Camões (1524-1580) já ocuparam suas cadeiras e, ainda hoje, a instituição está entre as mais procuradas da Europa. Comece a desbravar a "terrinha" pela Sé Velha, única catedral portuguesa românica da época da Reconquista. Na rota religiosa, passe pelas Igrejas de Santiago e São Salvador e pelo Mosteiro de Santa Cruz. Entre a universidade e o belo jardim botânico, contemple os Arcos do Jardim (ou Aqueduto São Sebastião). Site: www.turismodecoimbra.pt.

Boston, Estados Unidos

A famosa Universidade Harvard não fica em Boston, mas em Cambridge, logo ao lado. De tão pequenina, acabou ofuscada por sua movimentada vizinha. Até os estudantes preferem ficar por lá. Tanto que o Financial District de Boston é lotado de pubs frequentados pelos bem-nascidos de Harvard. Pela cidade, pipocam belos parques, assim como restaurantes de frutos do mar, especialidade local. A forte influência inglesa na região pode ser percebida na parte histórica. No meio de tantas opções, não deixe de visitar dois lugares: a doceria Mike?s Pastry (www.mikespastry.com), com seus canoles e lobster tails (folhados em formato de rabo de lagosta recheados com creme) perfeitos, e a fábrica da cerveja Samuel Adams (www.samadams.com), que oferece tour e degustação. Informações: www.bostonusa.com.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.