História escondida   entre vilarejos,   com ou sem luxo

História escondida entre vilarejos, com ou sem luxo

Não é à toa que os contos dos Irmãos Grimm estão povoados de castelos, palácios, príncipes e princesas. Milhares dessas fortalezas se espalham pela Alemanha, país de origem da dupla de escritores. Erguidos na Idade Média para proteger o patrimônio dos senhores feudais, os castelos se tornaram sinônimo de status - até se transformarem em indispensáveis atrações turísticas, nos dias de hoje.

BRUNA TIUSSU, O Estado de S.Paulo

25 Dezembro 2012 | 02h07

Castelo Lerbach

schlosshotel-lerbach.com

Ronaldinho Gaúcho, Kaká e Robinho testaram suíte, spa e restaurante em 2006, quando o Althoff Hotel do Castelo Lerbach foi eleito para ser o "lar" da Seleção Brasileira na Copa na Alemanha. Experiência que o viajante que está na região de Colônia (o castelo fica a poucos quilômetros dali, em Bergisch Gladbach) também pode provar sem ter de desembolsar uma fortuna: a noite custa desde 140 para o casal.

Instalado em uma imensa área verde, o hotel é ideal para quem busca conforto e mimos gastronômicos. Isso porque, além de seguir à risca as diretrizes Relais & Châteaux, seu restaurante é comandado pelo chef Nils Henkel, dono de duas estrelas Michelin.

Bacharach Burg Stahleck

Vilarejos pitorescos, curvas, altas montanhas e muitos, muitos castelos. Este é o cenário do romântico Vale do Reno, no centro da Alemanha. Por ali, a pedida é partir de cidades como Mainz, Bonn e Frankfurt e pegar a estrada atrás de segredinhos da região.

Como a pequena Bacharach que, localizada entre Mainz e Koblenz, de ares medievais e casinhas estilo enxaimel. Um detalhe, nada discreto, se destaca: o monumental Burg Stahleck, instalado num penhasco a 160 metros do nível do mar. Construído no século 12, o castelo já abrigou nobres, chegou a ser parcialmente destruído no século 17 e ganhou vida nova no século 20.

Trata-se de um dos poucos casos onde a denominação hotel-castelo não significa suítes luxuosas. Integrante da rede de albergues Hostelling International (hihostel.com), conta com bar, sala de jogos e 168 camas dispostas em quartos coletivos e privados - diárias desde 20.

Lichtenstein

schloss-lichtenstein.de

Foi preciso o rei Frederico I de Württemberg assumir o poder, no século 19, para que as ruínas do castelo original (do século 12) fossem postas abaixo para dar lugar a uma nova construção, o atual Castelo de Lichtenstein. Seu nome é uma herança da obra em que foi inspirado: o romance Lichtenstein do escritor e poeta Wilhelm Hauff, que descreve em detalhes um típico e monumental edifício medieval. Localizado na região de Baden-Württemberg, à oeste da Baviera, ao sul da Alemanha, fica na borda de uma das montanhas que compõem os Alpes da Suábia, a 817 metros acima do mar. Pagando 6, visitantes percorrem seus dois andares que, além da arquitetura neogótica, guardam peças de armamentos e armaduras, quadros e murais.

Drachenburg

schloss-drachenburg.de

Às margens do Rio Reno, Drachenburg é daqueles castelos que parecem de fato ter saído de um livro infantil. Isso porque ele está instalado na Rocha do Dragão (e seu apelido mais conhecido é Castelo do Dragão), que remete à antiga lenda dos Nibelungos, segundo a qual o herói Siegfried lutou com um terrível dragão que até hoje se esconderia em uma caverna, esperando a volta do guerreiro.

A cidade aos pés da montanha da fortificação é simpática Königswinter, a 10 quilômetros de Bonn. Foi um rico banqueiro das redondezas quem investiu na reconstrução do castelo, no século 19. Arquitetura esplendorosa, com torres altas e cômodos com mobília antiga podem ser apreciados durante a visita - na primavera, atente para o colorido do jardim, repleto de flores. Ingresso a 6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.