Imagem e semelhança

Kassel está em festa. Faz apenas um mês que o Parque Wilhemshöer entrou para a lista de Patrimônios da Unesco, graças a uma atração bem peculiar, as Cascatas. Os banners de comemoração estão por toda parte e, na cidade, não se fala em outra coisa. Eles têm razão em se orgulhar. O conceito do parque é do século 17 e, embora o projeto não tenha sido concluído, exibe um impressionante paisagismo.

O Estado de S.Paulo

06 Agosto 2013 | 02h18

É no alto de uma colina, o ponto mais alto de Kassel, que fica o Castelo do Gigante (Riesenschloss), com a estátua de Hércules no topo, o símbolo da cidade. É dali que despencam as tais Cascatas, apenas de 1.º de maio a 3 de outubro, às quartas-feiras, domingos e feriados, pontualmente às 14h30. As águas são bombeadas ao topo por meio de um sistema pneumático, e descem lentamente até a gruta, onde está o deus Poseidon.

Uma multidão se reúne para acompanhar a descida das águas, se acotovelando para conseguir o melhor ângulo para fotografar e filmar. O desafio é chegar até a próxima estação antes das águas - sim, porque o Castelo do Gigante é apenas a primeira parada. Admito: só cheguei antes das águas na última parada, a fonte que se forma em frente ao Wilhelmshöe, onde funciona o ótimo Museu de Kassel.

Dentro do museu há uma área com objetos históricos da cidade, outra com arte grega (incluindo peças de mais de 2 mil anos a.C.) e a Galeria dos Mestres, com 12 trabalhos de Rembrandt, entre outros. Também dá para ver quadros que ilustram o projeto original do parque.

Mas Kassel está na Rota dos Contos de Fadas por outro motivo. Foi ali que os Irmãos Grimm tiveram sua fase mais produtiva, incluindo a reunião das fábulas alemãs que se transformariam em uma das obras mais traduzidas do mundo.

Impossível, portanto, visitar a cidade e não ir ao museu dedicado a eles. Instalado em um antigo casarão, o Palácio Bellevue, o Brüder Grimm Museum (grimms.de) guarda um acervo riquíssimo. Infelizmente, apenas parte do que se vê tem explicações em inglês, o que deixa o visitante dependente de um guia para ter informações mais completas ( 45 o grupo; entrada de 3 paga à parte).

O térreo fica reservado às exposições temporárias - no momento, a comemorativa dos 200 anos da publicação da primeira edição dos contos de fadas, com referências aos contos mais conhecidos. Os verdadeiros tesouros, contudo, estão nos pisos superiores. Itens de mobiliário, quadros da família e exemplares da primeira edição dos Contos Domésticos, repletos de rubricas de Wilhelm.

Ali também há exemplares originais do Dicionário Alemão, cujo primeiro volume foi publicado em 1854. Quando morreu, Wilhelm estava na letra D e Jacob, na F. Com 33 volumes, o trabalho só foi concluído em 1961.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.