Índia: o caminho das pedras

.

Ricardo Freire, turista.profissional@grupoestado.com.br, O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2009 | 02h26

FINAL FELIZ - Novela termina no início da época climaticamente mais auspiciosa para viajar à Índia

A novela das nove passou os últimos meses tentando as lamparinas do seu juízo a viajar para o Rajastão. Sozinha, Glória Perez conseguiu fazer de 2009 o Ano da Índia no Brasil. Por ironia, é com o fim do folhetim de Maya e Raj que começa a época mais auspiciosa para viajar ao subcontinente. De outubro até março, a Índia vive seu período seco, com dias geralmente quentes e ensolarados e noites entre agradáveis e frias. Veja o que você precisa saber antes de sair arrastando o sári no mercado atrás da sua passagem. Atchá!

TOURS ANTIESTRESSE

Não é fácil ser um firangi estrangeiro (o certo é apenas firangi, que já significa estrangeiro) de férias na Índia. O assédio é intenso: parece que todos os que cruzam o seu caminho querem oferecer, vender ou pedir alguma coisa. Além disso, cada novo passo acaba envolvendo uma nova rodada de burocracia e negociação. O mais tranquilo é fazer uma viagem montada por especialistas, como a Amba (http://www.ambatour.com.br/), ou então embarcar logo num tour em grupo, como os da Raidho (http://www.raidho.com.br/).

DE CARRO

Entre Délhi, Agra e o Rajastão não existe melhor jeito de viajar do que em carro alugado com chofer. O motorista serve também como guia (em inglês) e anteparo contra o assédio. Se você abrir mão de hotéis cinco-estrelas e palácios de marajá, a mordomia do carro com motorista nem sai tão caro. A elogiada Namasté (http://www.namasteindiatours.com/) tem roteiros desde US$ 100 por dia para duas pessoas, incluindo carro, motorista e hospedagem em hotéis básicos.

POR CONTA PRÓPRIA

Já é possível reservar passagens aéreas e hotéis pela internet, em sites como Travelmasti.com e Yatra.com. Se quiser fazer a Índia de trem, cadastre-se e emita suas passagens em IRCTC.co.in (compre sempre a classe com ar condicionado). E não saia de casa sem consultar os extensos fóruns (em inglês) do IndiaMike.com. Em português, o melhor ponto de partida para obter informações sobre a Índia real é o blog Indiagestão (http://www.indiagestao.blogspot.com/).

JAIPUR

A uma hora de voo (cinco de trem ou quatro de carro) de Nova Délhi, a Cidade Rosa é a locação principal de Caminho das Índias. Mas não espere encontrar lá tudo o que aparece na novela. O Taj Mahal está em Agra (a cinco horas de carro), o bairro de casas azuis fica em Jodhpur (a seis horas) e as cenas do Ganges foram filmadas em Varanasi (longe do Rajastão).

AGRA

Pernoitar ou não pernoitar, eis a questão. Muita gente faz da cidade apenas um pit stop entre Délhi e Jaipur, especificamente para ver o Taj Mahal. Quem dorme em Agra, porém, tem o privilégio de entrar no Taj Mahal ao amanhecer, quando é mais mágico (e mais vazio) - e, depois, pode visitar com calma a cidade-fantasma de Fatehpur Sikri, já a caminho de Jaipur.

JAISALMER E UDAIPUR

Na minha opinião, são os lugares mais encantadores do Rajastão. Jaisalmer é uma cidade murada no meio do deserto, quatro horas de carro ao norte de Jodhpur. Udaipur, à beira de um lago, fica a cinco horas de Jodhpur, só que para o sul. De lá você pode voar a Bombaim e voltar ao Brasil sem passar de novo por Délhi.

VARANASI

A cidade sagrada dos hindus, com seus cinematográficos rituais no Ganges ao amanhecer, está a 75 minutos de voo de Délhi. De lá você pode voar para Khajuraho (onde há uma coleção de templos com entalhes eróticos) ou estender sua viagem a Katmandu, no Nepal.

VIA DUBAI

Não é só merchã de novela: a rota mais curta entre o Brasil e a Índia é via Dubai, sim. São 15 horas de viagem até o emirado - e depois só mais três horas a Nova Délhi ou Mumbai. Se quiser fazer uma parada de uns dias, deixe para a volta.

INTERNET PARA VIAGEM | www.aturistaacidental.wordpress.com

Criado para tratar de ecoturismo (Bonito, Boipeba, Bocaina), o blog da paulistana Emília Fernandes hoje abraça todo tipo de viagem. A série mais recente, sobre ilhas gregas (Milos, Santorini, Mikonos, Rodes), é das mais úteis que você pode achar na web em português.

 

VIAJE NA PERGUNTA

Quero passar sete dias no Vietnã. Como chego a Halong e Sapa, saindo de Hanói?

Luciana, São Paulo.

Para fazer jus à Baía de Halong, não faça o bate-volta: pegue um tour com pernoite em barco. A Handspan (http://www.handspan.com/) oferece traslado (3 horas e meia desde Hanói), passeio pela baía, acomodação no barco com ar-condicionado e refeições por US$ 130. Para ir ao vilarejo serrano de Sapa você vai precisar voltar a Hanói e pegar o trem noturno a Lao Cai (www.hotelvietnamonline.com/sapa/trains.htm); de lá há ônibus a Sapa. Esses destinos já ficam apertados numa semana; não invente mais nada. Antes de ir, visite o http://www.travelfish.org/.

Perguntas: turista.profissional@grupoestado.com.br

DE CARONA NA NOTÍCIA | Cape Cod

Esta região, a duas horas de carro de Boston, monopolizou o noticiário internacional da semana passada. Primeiro foi Barack Obama, que levou a família para uma semana de férias na ilha de Martha?s Vineyard, tradicional endereço de veraneio de políticos democratas e da elite negra americana. Em seguida foi a vez de Ted Kennedy morrer ali pertinho, em sua casa de Hyannis Port, no continente. Hyannis é a principal porta de acesso à Ilha de Nantucket, um dos lugares mais adoráveis dos Estados Unidos, com ruazinhas de paralelepípedo, casinhas de madeira e estradinhas para rodar de bicicleta. De volta à península, confira os inúmeros antiquários da Route 6 e dê um pulinho em Provincetown, antiga colônia açoriana que se transformou num povoado GLS.

BILL CASH | O terror dos mãos-fechadas: sempre arruma bons motivos para viagens perdulárias.

''Ilustres, esse negócio de pagar menos para receber menos não está com nada. Pagar menos só é bom quando você recebe mais. Por exemplo: os hotéis brasileiros associados ao Circuito Elegante (circuitoelegante.com.br) oferecem upgrade sempre que disponível

a quem reserva pelo site. Vá na baixa temporada, e aproveite. Às vezes, o caro sai barato!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.