Lembranças de Istambul

Nosso grande viajante manda notícias de Mallorca, a ilha da qual era habitué na primeira metade do século passado e que hoje, a seu ver, trocou a infinita paz de suas paisagens por desmesurados projetos imobiliários. Mr. Miles foi visitar a família Nadal e levar seu carinho ao bravo Rafael, o incansável tenista maiorquino que se recupera de uma contusão no joelho. Aproveitou para visitar Valdemosa, uma vila encantadora na pequena Cordilheira Tramuntana, onde Frédéric Chopin e sua amada Georges Sand viveram um idílico ano de suas vidas. E, claro, não deixou de ir à extraordinária Torrent de Pareis, uma praia muito pequena, esmagada entre paredões, a qual só se chega atravessando um claustrofóbico túnel de granito.

O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2012 | 03h10

De lá, o viajante britânico responde aos seus correspondentes:

Prezado mr. Miles: meu dia predileto no jornal O Estado de S. Paulo é, claro, terça-feira, quando viajo com suas sempre simpáticas e bem-humoradas respostas no caderno Viagem. Conhecer lugares, outros mares, enche a alma de conhecimento, menos julgamentos e mais prazeres. Enfim, tudo isso para dizer que vou à Turquia, conhecer Istambul e Capadócia, e quero o melhor de lá. Já vasculhei roteiros, pontos turísticos principais, mas sempre tem um lugarzinho especial que foge ao roteiro massificado. E sei que você, o great, amazing, terrific, big mr. Miles poderia me indicar algum. Aguardo muito a resposta do homem mais viajado do mundo. Como se diz no Brasil: você é tudo de bom!

Maria Helena Palatnik, por e-mail

"Maria Helena, my dear: sua generosa adjetivação deixou-me corado. Fico feliz em ocupar uma pequena parte de seu coração, mas, as you know, minhas crônicas são apenas o humilde relato de um entusiasmado viajante.

Seu e-mail encheu-me de saudades de Istambul, a cidade de todos os sentidos. É um esplendor para os olhos, um quiz permanente para o olfato, uma viagem pelos sabores e um rumor cativante para os ouvidos. I'm sorry to tell you, Mary, mas, em minha opinião, Istambul não tem apenas alguns lugares especiais e misteriosos. Ela é toda delightful, e, cada passo que você der, sobretudo na porção europeia da cidade (a mais antiga e impressionante), poderá proporcionar-lhe emoções ancestrais.

As pessoas, sometimes, esquecem que Istambul, com seus quase 3 mil anos de vida, foi a mais longeva das capitais do mundo. A supremacia de Roma, Londres e Nova York, por exemplo, são passagens diminutas na história das cidades mais influentes. Istambul já era um centro de comércio quando chamava-se Bizâncio. E, por ordem do Imperador Constantino, que considerava Roma pouco imponente, tornou-se capital do Império Romano no século III da Era Cristã. Constantino deu-lhe o awful name de Nova Roma, como se estivesse batizando uma cantina de periferia. However, o nome que pegou foi o do próprio imperador: Constantinopla, a grandiosa, muito mais tarde rebatizada Istambul.

Tenho certeza, darling, que você saberá desvendar Istambul. E minha única advertência é para que você não se perca no minotáurico labirinto que é o Grande Bazar. Sei de muitas senhoras que, em parte perdidas, em parte hipnotizadas pelos bons preços, nunca mais voltaram de lá.

As for Capadócia, prefira visitá-la com um guia e um grupo organizado. Essa fascinante área geológica serviu como esconderijo para cristãos por centenas de anos e, of course, você não vai encontrar os lugares onde eles viveram e ergueram seus templos clandestinos sem a ajuda de um bom cicerone. Prepara-se, dear, para uma dessas viagens que duram para sempre. E conte-me tudo quando voltar."

É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO. ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E 16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.