Felipe Mortara/AE
Felipe Mortara/AE

Massa Marittima, para caminhar sobre o passado

Pelo nome, dá até para imaginar Massa Marittima como um daqueles balneários mediterrâneos de água turquesa com um calçadão repleto de restaurantes que servem frutos do mar à moda da casa. No entanto, esta encantadora cidade de 9 mil habitantes fica a 380 metros do nível do mar, numa colina entre Siena e o litoral.

MASSA MARITTIMA , F.M., O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2012 | 03h10

Poderia ser apenas mais uma elegante cidade medieval. Mas as ruas, o conjunto extravagante de prédios bem preservados e, principalmente, a fotogênica Piazza Duomo fazem de Massa Marittima um lugar que você não vai esquecer. A sensação é de caminhar sobre a história.

Um grande barato é desbravar seus três distritos - Città Vecchia, Città Nuova e Borgo - procurando brasões pelas paredes. Não se deixe enganar pelos nomes: a Cidade Velha é do século 13 e a Nova, do século 14. Desde essa época ocorre, em maio e agosto, um campeonato de tiro com balestras (espécie de arco e flecha) entre equipes das três regiões. É preciso sorte para encontrar a sede da agremiação de cada bairro aberta, mas a antiga igreja de San Pietro all'Orto guarda os equipamentos e vestimentas (que parecem saídos de uma batalha medieval) da Città Nuova, além dos palios (bandeiras), que são os prêmios das competições.

Desça pelo impressionante Arco Senese, onde torres de defesa dividem a cidade. Uma delas é a Torre Del Candeliere (2,50 euros ou R$ 7 para subir), de 1228. Leve a câmera: dali se tem uma vista incrível dos principais pontos da cidade. A catedral vale a visita pela beleza de sua pia batismal de 1324 e pelo crucifixo de madeira de Giovanni Pisano no altar.

Logo ao lado, o museu Archeologico tem de interessante a Stele del Vado all'Arancio, estrela de pedra de 3 mil a.C. cuja utilidade ainda causa discussão entre historiadores. Se bater o tédio, a agradável Enoteca Il Bacchino (via Moncini, 8) fica ao lado e, além de vinhos gostosos, vende belos talheres e tábuas feitos com madeira de oliveira. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.