Igor Giannasi/Estadão
Igor Giannasi/Estadão

Museus para entender as tradições locais de Chiloé

Três museus para conhecer melhor a região chilena

Igor Giannasi, O Estado de S. Paulo

18 Abril 2017 | 04h30

CASTRO - A preocupação com a preservação do patrimônio cultural de Chiloé não se restringe às suas casinhas de madeira. É possível conhecer um pouco mais da cultura e dos costumes do lugar visitando seus museus – 18 em todo arquipélago. Nós visitamos três deles. 

Museu das Tradições Chonchinas

museodechonchi.blogspot.com

Instalado em uma casa de madeira do início do século 20, ao estilo neoclássico chilota, o museu da cidade de Chonchi reproduz como era vida de seus habitantes naquela época, com móveis e objetos doados por seus moradores. 

As mulheres da casa se reuniam no costurero, cômodo onde faziam trabalhos manuais como tricô e bordados. Ali também se aqueciam com o calor emanado pelo braseiro, um buraco no chão.

Ao lado, está a mesa posta na sala de jantar, com talheres e cerâmicas antigos. Há também um quarto, com camas, armário e objetos de higiene pessoal. 

No salão principal, onde eram recebidas as visitas, um piano vertical ajuda a compor o ambiente. Na parede, retratos dos antigos proprietários da residência, Don Clemente Andrade e sua mulher, Verónica Álvarez. 

Casa Museu Francisco Coloane

casamuseocoloane.cl

Graças aos esforços da diretora da Biblioteca de Quemchi, Teolinda Higueras, o museu em homenagem ao escritor chileno Francisco Coloane (1910-2002) se tornou realidade. O autor de, entre outras obras, Terra do Fogo, livro de contos que mostram o embate entre o homem e a natureza no sul chileno, nasceu na cidade e cresceu na casa dos avós. O museu simula a moradia de Coloane, já que a palafita original ficou inabitável depois que a maré subiu quando a região foi atingida por um terremoto, em 1960. 

Para conseguir uma casa com as características de uma construção da época, Teolinda organizou uma atividade comunitária muito comum em Chiloé: a minga. Em julho de 2010, uma equipe de TV francesa registrou os moradores levando a casa para o local onde funciona ao museu, ao lado da biblioteca. Cenas do documentário são exibidas no museu: da proteção das estruturas até os bois arrastando a casa para o mar, onde foi puxada por um barco para o destino final. 

Museu de Arte Moderna (MAM) 

mamchiloe.cl

Um grupo de artistas e arquitetos chilenos criou, em 1988, o Museu de Arte Moderna em Castro, mas foi só dois anos depois que ele ganhou sede própria: um galpão abandonado, doado pela prefeitura, projetado nos anos 1970 e localizado no parque municipal. 

O conceito arquitetônico do museu mescla o antigo e o moderno. A fachada mantém as características originais, mas uma intervenção de grafite em uma das paredes dá a dica do que se verá no interior. Nas amplas salas de exposição, as estruturas do telhado à mostra transparecem o passado.

Mais conteúdo sobre:
Castro Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.