Música em forma de cidade

Inspirada por Mozart, Salzburgo tem uma trilha sonora em cada esquina

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2009 | 01h25

Salzburgo é uma cidade com trilha sonora. Não uma, mas várias. Ela pode ter os acordes das composições de Mozart. Ou ser cantada por corais, como na oscarizada produção A Noviça Rebelde, de 1965, gravada na cidade.  

 

SÓ LÁ – A incrível vista do Monte Mönchsberg, com destaque para a Fortaleza (no alto); músicos na praça (à esquerda) e detalhe da loja Christmas in Salzburg, onde é sempre Natal

Pode ser que o talento de Mozart tenha se espalhado por sua cidade-natal. Vez ou outra, você vai ouvir ao longe alguém praticando violino ou mesmo cruzar com jovens músicos apressados, caminhando pelo centro antigo. Se tiver sorte, vai assistir a óperas e a concertos no Festival Hall. Ou participará de um dos jantares turísticos, que apesar de um pouco piegas, são uma opção interessante para ouvir os clássicos.

 

Veja também:

linkMaratona Von Trapp. Nas ruas e no hotel

O orgulho da cidade em torno de seu filho famoso pode ser verificado nos inúmeros espaços e atrações que levam o nome de Mozart. Só de museus dedicados a ele são dois. Há, ainda, farmácia, lojas e até um bombom típico, recheado com marzipã, que tem o desenho do músico na embalagem. O original Mozartkugel foi criado por Paul Fürst, em 1890, e segue sendo preparado exatamente da mesma maneira no Fürst Cafe (pacote com 12 chocolates custa, em média, 15 ou R$ 38). Mas você encontrará vários genéricos pelas ruas e supermercados de Salzburgo.

Quem entra na cidade velha pela Ponte Staatsbrücke logo se depara com a casa onde nasceu o compositor, em 27 de janeiro de 1756, no número 9 da Getreidegasse. Na residência amarela com pesado piso de madeira, a rotina da família Mozart foi reproduzida. Lá estão objetos originais e muitas peças cenográficas. Vale pela curiosidade, e só isso.

Pelas ruas daquela área, não se vê carros: anda-se a pé, de bicicleta ou, no máximo, em carruagens turísticas, que ajudam a formar o clima de época. Saindo do museu, caso decida caminhar para o lado direito, você se vai ver uma autêntica rua medieval. E entenderá por que todo o centro antigo foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Até os estabelecimentos comerciais - de lojas de grife a sorveterias - exibem placas com jeito de antigas, que parecem pedir uma foto. Não as decepcione.

OUTROS TEMPOS

Seguindo por esse caminho, você chega a um elevador, instalado nas rochas do Monte Mönchsberg, que leva os turistas ao mirante e ao Museu de Arte Contemporânea. Nos dias de sol, vale a pena ir na hora do almoço e acalmar o estômago no simpático restaurante, tendo a vista completa da cidade.

À esquerda da casa de Mozart há mais lojas interessantes. Algumas exibem nas vitrines trajes medievais; outras, roupas de estilo tirolês. E é impossível não sorrir ao passar pela Christmas in Salzburg, que vende lindos objetos de decoração natalina durante o ano todo, e a Easter in Salzburg, no mesmo estilo, mas com a Páscoa como tema.

Continue sua caminhada até a Mozartplatz, ampla praça que exibe a estátua de... Mozart, claro. É lá também que fica o ótimo centro de informações turísticas. A partir dali, você pode seguir rumo à Fortaleza Hohensalzburg, construída em 1077 e aumentada entre os séculos 15 e 16. A entrada do monumento pode ser alcançada usando o funicular.

Basta descer da composição para você sentir que acabou de voltar no tempo. Ou de entrar em um filme de época. As ruas de pedra, o castelo, as armaduras que decoram diversos pontos, tudo remete ao passado. Reserve ao menos três horas para explorar cada detalhe com calma. A vista da fortaleza, logicamente, não decepciona. Em uma das salas, são realizados recitais e apresentações de música clássica. Com Mozart no repertório, sem dúvida.

Viagem a convite do Escritório de Turismo da Áustria

ANTES DE EMBARCAR

COMO CHEGAR

linkO trecho São Paulo-Viena -São Paulo custa a partir de R$ 1.008 na KLM (4003-1888; www.klm.com), R$ 1.071 na Iberia (0--11-3218-7130; www.iberia.com/br), R$ 1.108 na Lufthansa (0--11-3048-5800; www.lufthansa.com), R$ 1.358 na Swiss (0--11-3049-2720; www.swiss.com/brasil) e R$ 1.381 na Air France (4003- 9955; www.airfrance.com.br). Voos com conexão

linkDe Viena a Salzburgo, a melhor opção é ir de trem. A viagem dura cerca de três horas. Preço: a partir de €  47,50 (R$ 122) na OBB (www.oebb.at)

DICAS

linkInformações sobre hotéis, atrações, tours e tudo o mais que você precisar estão reunidas no site oficial, o www.salzburg.info, em inglês

linkVale a pena comprar o Salzburg Card, que dá direito a visitar as principais atrações turísticas e ainda a utilizar a rede de transportes da cidade. Há opções de 24, 28 e 72 horas de uso, com preços entre 22 (R$ 56) e 35 (R$ 90)

linkOutra maneira interessante de explorar a cidade é de bicicleta. Salzburgo é essencialmente plana e repleta de ciclovias - há uma que margeia o Rio Salzach. Duas horas custam 6 (R$ 15) e a diária, 15 (R$ 38), na Topbike (www.topbike.at)

ONDE IR

linkCafé Fürst: há quatro unidades da loja na cidade. Uma delas, na Getreidegasse, 47

linkCafé Tomaselli: aberto em 1705, tem garçonetes vestidas em trajes clássicos, que passam pelas mesas com doces tentadores, recém-saídos do forno.Era o favorito de Mozart. After Markt, 9

linkFortaleza Hohensalzburg: www.salzburg-burgen.at. Entrada: € 10,50 (R$ 27)

linkMozart Dinner Concert: jantar à luz de velas intermeado por música clássica, ao vivo. Site: www.salzburg-concerts.com. Preço: € 48 (R$ 123)

linkPalácio Hellbrunn: www.hellbrunn.at. Entrada € 8,50 (R$ 22)

Mais conteúdo sobre:
Áustria Salzburgo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.