Na Cidade Colonial, o começo do Novo Mundo

Relegado pela maioria dos turistas, centro histórico guarda impressionantes construções do século 16

Ricardo Brandt, SANTO DOMINGO

06 Julho 2010 | 10h38

Histórico. O castelo Alcázar de Colón, meio fortaleza meio masmorra, fica na Calle Las Damas

 

 

Sim, é possível conhecer a Cidade Colonial, em Santo Domingo, capital da República Dominicana, em apenas um dia. Mas tenha em mente que, com tanta pressa, fica difícil descobrir de verdade cada canto deste conjunto de 12 quadras tombado pela Unesco.

 

Contornada em sua parte costeira por uma muralha de pedras erguida em 1502, a Cidade Colonial fica às margens do Rio Ozama. E está cheia de pontos interessantes a visitar. A entrada oficial, por um portão de pedra, leva a uma rua estreita com calçamento também de pedra, casas geminadas coloridas, gradis, arcos de ferro e muitas trepadeiras floridas dependuradas. Chega a lembrar um vilarejo europeu.

 

Tudo muito diferente do trânsito caótico, das casas envelhecidas e da pobreza reinante na cidade de 3 milhões de habitantes que a cerca. As 12 ruas que mantêm suas placas em azulejo formaram o primeiro traçado urbano do Novo Mundo.

 

Um dos mais valiosos patrimônios encontrados ali são as ruínas do Hospital de San Nicolás de Bari, cujas paredes começaram a ser erguidas em 1503. Contemple o prédio - ou o que restou dele -, o primeiro hospital da história pós-colonização espanhola no continente americano. Sobraram as ruínas e arcos que resistiram aos estragos do furacão George, que, em 1998, destruiu boa parte da cidade.

 

Veja também:

Duas faces caribenhas

Uma boa dose de preguiça para curtir as belezas da Ilha Saona

Mar transparente e mordomias sob o sol na rotina de Punta Cana

Cinco minutos. E está pronto o autêntico Cohiba dominicano

 

Siga seu tour pela Calle Las Damas, uma das mais importantes do quadrilátero. Ao fim dela está o Alcázar de Colón, imponente castelo, meio fortaleza, meio masmorra, com detalhes góticos. Naquele endereço, erguido entre 1509 e 1514, viveu Dom Diego Colombo (filho de Bartolomeu Colombo, irmão do descobridor). Hoje tornada museu, a construção não tem nenhum prego em suas estruturas. Portas e janelas estão apoiadas sobre dobradiças e fecham-se com tábuas de caoba incrustadas nos muros.

 

Arte e história. Perto dali, a Rua Isabel La Católica leva à Catedral de Santa Maria da Encarnação, a primeira igreja do Novo Mundo. Começou a ser erguida em 1514, mas só foi inaugurada oficialmente em 1546. Além da miscelânea de estilos em razão de seu duradouro canteiro de obras, ela guarda trabalhos de Velázquez e Murillo.

 

 

Cidade Colonial. No quadrilátero histórico estão bares e restaurantes que misturam cozinha internacional e pratos típicos

 

 

Situada na Plaza Colón, a igreja está de frente para a estátua que homenageia Cristóvão Colombo, o ponto central da Cidade Colonial. A praça abriga bares com mesas espalhadas pelo calçadão, lojas de charuto e uma franquia do Hard Rock Café.

 

As ruas El Conde (um calçadão de lojas) e Duarte e Mella são as principais artérias para exercer o consumismo. Você poderá encontrar lembrancinhas, peças de artesanato e objetos de uso comum no país, como os chapéus Panamá. No Museu do Âmbar há brincos, pingentes e anéis feitos com âmbar e larimar, pedra azul- clara típica do país. Barganhe.

 

Noite. Também na Cidade Colonial se concentra a boemia. No quadrilátero histórico estão bares e restaurantes que misturam cozinha internacional e pratos típicos. Tudo regado a rum e charutos.

 

Em frente ao Alcázar de Colón há uma concentração de restaurantes que ocupam casarões coloniais, chamados de Las Atarazanas. Um deles teria sido residência de Francis Drake em uma de suas investidas contra a capital dominicana.

 

Se você conseguir ver tudo isso em um só dia, parabéns. Caso contrário, divida a programação em visitas históricas e comerciais. Reserve as noites para os bares - e, por que não?, para os cassinos dos hotéis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.