Na contramão dos grupos, chef se aventura sozinho

Nem todas as puertas cerradas são resultado de trabalho em grupo. O chef Diego Feliz, de 38 anos, por exemplo, oferece jantares (colectivofelix.com) duas vezes por mês em pontos rotativos, incluindo o Oasis e, algumas vezes, seu quintal, no distrito de Characrita. Ele costuma receber cerca de 15 clientes, que pagam 210 pesos (R$ 91) por cinco pratos vegetarianos e com peixe, como bolo de raiz de mandioca grelhado com tomates assados ao molho de amendoim ou ensopado andino de garoupa.

O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2012 | 02h10

Seu interesse culinário, incomum em um país onde a carne tende a ser a estrela, vem da mãe nutricionista e de empregos em restaurantes vegetarianos na Califórnia. / S.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.