No menu, sopas e iguarias típicas

Talvez só mesmo em Sófia os dois points gastronômicos mais badalados do momento se dediquem às sopas. O Supa Star (Rua Tsar Ivan Shishman, 8) é decorado com obras de arte extravagantes e luminárias coloridas. No menu, oferece desde o tarator, um clássico caldo búlgaro com pepinos e nozes à base de iogurte gelado (custa 2,70 lev ou R$ 3,60), até sopa tailandesa de camarão (por 5 lev ou R$ 6,70).

SÓFIA, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2012 | 03h11

Para não ficar atrás, o Soup Me (Rua Neofit Rilski, 55), onde uma concha culinária foi transformada em maçaneta de porta e utensílios de prata viraram lamparinas de teto, serve especialidades como o shkembe chorba (também conhecido como tripe soup), um tradicional prato local que leva tripas de boi, porco ou cordeiro, leite e especiarias diversas (custa desde 3,80 lev ou R$ 5).

Para mais experiências gastronômicas, tente os mercados locais. O Zhenski Pazar (ou mercado feminino), a céu aberto, e o mercado central, com estilos neorrenascentista e neobizantino, construído em 1909 no espaço da fortaleza Serdika, são coloridos e caóticos - atenção, é a terra preferida dos batedores de carteira. Ali, comerciantes vendem de tudo, de cerâmica a banitsa, uma espécie de salgado de massa folhada recheado com queijo que é servido no café da manhã. Para acompanhá-lo, um copo de boza, a bebida de malte favorita dos búlgaros. Você pode ainda provar a versão orgânica dela, a bioboza (2,50 lev ou R$ 3,30) no Tova (plustova.com), que também serve quiches (4 lev ou R$ 5,30) e conta com uma programação composta por exposições multimídias.

Outro clássico nacional é o churrasco búlgaro que, muito pelo passado atribulado do país, apresenta uma mistura interessante de sabores asiáticos e europeus. No SkaraBar, uma churrascaria com janelas retráteis do chão ao teto, tente o meshana skara (15,80 lev ou R$ 21), prato com espeto de cordeiro e salsichas, além do tradicional kebapcheta de porco - trata-se da versão búlgara da kafta, para quem realmente gosta de sabores apimentados. Ali, vinhos búlgaros custam a partir de 9,90 lev (R$ 13,20) e a dose de rakia sabor uva e ameixa, o clássico digestivo dos Balcãs, começam em 2,10 lev (R$ 2,80).

Já no bistrô Lubimoto, o carro-chefe da casa é o lombo de porco cozido em baixa temperatura (custa 8,49 lev ou R$ 11,35), que faz os clientes até cantarolarem poesias após a refeição.

Comida e cultura. Com paredes vermelhas e menu light-alternativo, a Tea House é frequentada por boêmios, descolados e estrangeiros que vivem na capital. O local convida, principalmente, para curtir suas sessões noturnas de música e leitura de poesia, com um cardápio vegano e mais de 60 tipos de chás (desde 1,90 lev ou R$ 2,50 cada). Em uma tentativa de não perder a tradição histórica do prédio que ocupa, uma antiga fábrica de papel, os proprietários usaram de criatividade e instalaram, na parte de trás do espaço, um sebo especializado em títulos de língua inglesa.

Outro endereço interessante de conhecer é o Hambara (Rua Septemvri, 6), cuja pintura verde brilhante na fachada do edifício é a única marca que sinaliza sua entrada. O local, que foi ponto de encontro secreto de artistas e intelectuais durante o regime comunista, ainda é iluminado por velas - de forma precária por causa do seu interior de madeira - e hoje funciona como bar. Mais fácil de encontrar, porém, é o A:part:mental (Rua Neofit Rilski, 68), residência secular que virou Embaixada da África e logo uma galeria-café que exibe obras de arte locais enquanto serve vinho de framboesa (desde 5 lev ou R$ 6,70) e bolos integrais (a partir de 5 lev). / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.